Dica 617 – Um festival de Línguas – A pronúncia do TH – Parte 1

julho 8, 2015

Uma das maiores dificuldades que eu tenho no ensino do inglês é fazer os meus alunos acreditarem que para pronunciar o som de TH eles precisam colocar a língua para fora no meio dos dentes. No Brasil, falar assim é considerado um defeito de fala – é o que a gente costuma chamar de “ter a língua presa”. No entanto, no inglês, essa é a maneira correta de falar. E para falar corretamente é preciso praticar bastante.

Para convencer os meus alunos de que é assim mesmo, eu costumo mostrar cenas de filmes e seriados onde dá para se ver claramente a língua saindo para fora. Por isso montei esse vídeo que eu chamei de “Festival de Línguas”. Assista, preste atenção às línguas que vai ver, e pratique bastante.

Aprender a pronunciar corretamente é um trabalho mecânico. Você precisa se esforçar bastante. No início você precisa pensar bastante no que está fazendo. Tem que ser uma atitude consciente. Se praticar muito, vai chegar um dia em que você vai fazer isso sem pensar. Quanto tempo isso vai levar, vai depender de você.

Para você melhorar, você precisa primeiro querer melhorar. E se dedicar a isso. Você consegue. Como diz o título de um dos meus livros, “Você Consegue Aprender o Que Quiser”.

Espero que esse vídeo ajude. Logo virão outros. Aguardem!

Até mais,

Carlos

Dica 616 – Pratique a pronúncia do TH com música

maio 31, 2015

Todo mundo gosta de cantar. O que varia é o gosto pessoal de cada um. O tipo de música que você gosta pode ser diferente do tipo de música que eu gosto. De qualquer maneira, essa dica pode ser usada com qualquer música. Basta você escolher uma música de que goste e fazer o mesmo que eu fiz com essa.

Nesse vídeo eu dou um exemplo de como praticar a pronúncia do TH cantando. Eu usei a música “The Lady Is a Tramp” cantada p0r Frank Sinatra. Use essa música, ou escolha uma outra qualquer. Se você praticar bastante cantando, vai ver que quando for falar, vai acabar falando com a pronúncia correta também.

Veja o vídeo e depois mande um comentário dizendo o que achou.

Ter uma boa pronúncia exige bastante trabalho muscular. Você precisa mexer e boca e a língua da maneira correta e muitas vezes isso é diferente da maneira como se faz em português. Por isso dá trabalho. Mas com a repetição constante, o seu corpo vai se acostumando e um dia você vai fazer corretamente. O importante é a prática e a persistência.

Continue praticando, que você vai chegar lá!

Até a próxima,

Carlos

Dica 615 – Como aprender inglês sem esforço

maio 5, 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dica 614 – Use o Waze em inglês

abril 5, 2015

Para quem ainda não conhece o Waze, fique sabendo que ele é um aplicativo gratuito de trânsito e GPS que utiliza dados e alertas de tráfego em tempo real. Ele pode melhorar muito o seu trajeto de todos os dias.  Eu demorei um pouco até começar a usá-lo, pois estava acostumado ao meu GPS, e não queria abandoná-lo. Mas com o Waze realmente você ganha muito tempo. Para quem mora em São Paulo, como eu, ganhar tempo no trânsito é muita melhora na qualidade de vida.

Mas o que está me divertindo mais do que tudo é ouvir o Waze falar inglês. Você pode escolher a lingua que ele fala e escolher a opção de ele dizer o nome das ruas. Experimente! É uma boa maneira de você treinar o seu inglês enquanto está no carro. Se pensar no tempo em que fica no trânsito todos os dias, vai ver que dá para aproveitar bem.

Mesmo que você já saiba o caminho por onde vai, vale a pena ligar o Waze em inglês. Você vai ouvir as expressões que dão as direções, as distâncias, os problemas que encontra pelo caminho, e aos poucos vai lembrar de todas elas. Você pode até ir repetindo tudo o que ele diz, e ir treinando a parte oral.

Se escolher a opção de ele falar os nomes das ruas em inglês, vai dar muitas gargalhadas. Mas além disso, é um bom exercício de pronúncia. Ele fala os nomes das ruas em português como se fossem inglês. Isso vai ajudando você a descobrir um pouco mais sobre a pronúncia do inglês. Quando você for ler alguma coisa em inglês, isso vai te ajudar também. Você vai internalizando alguns sons do inglês e vai brincando com as palavras.

Em inglês a pronúncia não segue padrões rígidos. Há muita variação na pronúncia e mesmo os nativos muitas vezes não sabem pronunciar palavras novas que eles não conhecem. Mas essa brincadeira ajuda você a trabalhar os sons da língua inglesa. Por exemplo, se você prestar atenção à forma que ele pronúncia o nome “Av. Paulista”, quando enxergar palavras como “because”, “cautious”, “daughter” vai saber como pronunciar.

Quando o Waze for falando os nomes das ruas, repita os nomes algumas vezes. Faça isso como uma brincadeira, e até o tempo gasto no trânsito vai parecer menor. Isso não tem nada a ver com aprender vocabulário, já que as palavras em português não significam nada em inglês. É apenas uma brincadeira com os sons.

Como eu já disse antes, algumas ideias que podem parecer estranhas, podem nos ajudar muito a aprender e melhorar o nosso inglês. Nunca diga que não funciona sem tentar antes.

Depois escreva para mim, me contando como foi a experiência.

Até a próxima,

Carlos

Dica 613 – Jogue “Heads Up”

março 27, 2015

Eu descobri essa dica há poucos dias e estou me divertindo muito com ela. É um aplicativo que você pode baixar gratuitamente no seu celular ou tablet, chamado “Heads Up”.

O aplicativo foi desenvolvido pela apresentadora americana Ellen Degeneris. É um jogo muito bacana, que além de garantir muita diversão ajuda muito a praticar o inglês. Você joga com um parceiro, que pode ser um amigo ou até um colega de aula de inglês. Um dos participantes coloca o celular ou tablet na testa, de modo que só o parceiro possa ver o que aparece. Na tela aparecem palavras e o parceiro precisa descrevê-las para o outro jogador adivinhar. Enquanto o tempo passa, você pode adivinhar várias palavras. Quanto mais palavras você acertar, mais pontos você ganha. Existem várias categorias para você escolher, que incluem pessoas famosas, animais, coisas de criança, e muito mais. Quando você acerta, inclina o celular ou tablet para baixo e outra palavra aparece. Quando você não sabe e quer passar, inclina o celular ou tablet para cima e a palavra muda.

Veja alguns vídeos onde Ellen Degeneris brinca com convidados do seu programa.

 

 

 

 

 

Não acha divertido? Bom, eu tenho jogado em casa e também com meus alunos e estou adorando. É um jogo legal, onde você pode aprender e revisar bastante vocabulário, alem de praticar como descrever as palavras, que é uma habilidade muito importante ao se falar uma língua.

Então, aproveite! Baixe o aplicativo, divirta-se e pratique bastante o seu inglês!

Até a próxima,

Carlos

Dica 612 – Cante e aprenda inglês, com o “Karaoke Channel”

março 14, 2015

As pessoas vivem me perguntando que músicas são boas para aprender inglês. E como sempre, eu digo que é uma escolha muito pessoal. As pessoas têm gostos diferentes. As músicas que eu gosto podem não ser do seu agrado. Por isso, eu mais uma vez insisto que se você cantar as músicas que você gosta, vai se divertir e praticar bastante o seu inglês.

No livro “Aprenda Inglês Cantando e Aprenda a Cantar em Inglês”, eu e a Cris damos muitas dicas de como aprender inglês com música. E embora o livro dê exemplos com várias músicas, o que eu acho mais legal no livro é que ele ensina como você pode encontrar músicas que você goste e que auxiliem no aprendizado de pontos gramaticais ou até na pronúncia de determinados sons em inglês.

Cantar é sempre bom, e mesmo que você não esteja pensando especificamente em cantar para aprender inglês, só o fato de você cantar em inglês para se divertir, e de ficar repetindo a mesma música até aprender, vai acabar fazendo você melhorar o seu inglês… brincando.

Nesse sentido vale à pena conhecer o Karaoke Channel, no youtube.

https://www.youtube.com/channel/UCPhsF4E-vChQBEF4Zl9hvqw

Eu já falei sobre ele na Dica 505 (https://dicasingles.wordpress.com/2012/10/23/dica-505-the-karaoke-channel/), mas é sempre bom relembrar. Esse canal tem uma coleção enorme de vídeos de karaokê, para você cantar e se divertir. Uma coisa muito bacana do canal é que muitas das músicas têm duas versões, uma com a voz de um cantor – não o cantor original – e outra sem a voz do cantor. Você pode ouvir a versão com a voz do cantor muitas vezes até aprender, e depois tentar cantar a versão em karaokê.

Aqui estão só alguns exemplos de vídeos.

“Imagine”, de John Lennon, com a voz, para você aprender:

 

“Imagine”, em versão karaoke, para você cantar:

 

“Baby I Love You”, de Jennifer Lopes, com a voz, para você aprender:

 

“Baby I Love You”, em versão karaoke, para você cantar:

 

“I Will Survive”, de Gloria Gaynor, com a voz, para você aprender:

 

“I Will Survive”, em versão karaoke, para você cantar:

 

Procure no canal e com certeza você vai achar músicas que você goste.

Eu recomendo que antes de você começar a cantar ouça muitas vezes a música, prestando bastante atenção à pronúncia das palavras e tentando associar as palavras escritas aos sons. Depois comece a cantar e quando estiver mais firme, passe para a versão em karaokê. Aprender uma música dá trabalho. Você precisa cantar muitas e muitas vezes até conseguir. Às vezes a gente acha que é difícil, e que não vai conseguir. Vai conseguir, sim. Se você não conseguir, é porque desistiu antes.

Existem aplicativos que permitem que você baixe vídeos do youtube no seu computador. Você pode baixar as suas músicas favoritas e depois brincar de karaokê. Pode até convidar os amigos e fazer uma noite de karaokê na sua casa. Que tal? Podem até combinar que nesse dia só vão falar em inglês. Será pura diversão!

Cante, divirta-se e aprenda inglês!

Até a próxima,

Carlos

 

Dica 611 – Minha entrevista no canal “A Culpa é dos Livros”

março 5, 2015

No canal “A Culpa é dos Livros” no youtube, Alyssa Mou, uma adolescente que adora ler, dá dicas e faz comentários sobre livros. É muito bacana ver alguém que tem tamanha paixão por livros. Ler é realmente maravilhoso. Recomendo que você conheça e assine o canal. Quem sabe não fique estimulado a ler mais?

https://www.youtube.com/user/culpadoslivros

Foi com grande alegria que dei uma entrevista para Alyssa falando sobre os meus livros e sobre dicas de como aprender inglês. Aqui está o link para que você possa assistir:

Eu sempre li muito e ler sempre foi uma parte importante da minha vida. Através da leitura a gente conhece o mundo e conhece histórias interessantes que nos inspiram para a nossa vida. Ler faz a gente viajar na nossa imaginação e até na vida real. Várias vezes eu tive vontade de conhecer um determinado lugar depois de ter lido sobre ele, ou de ter lido uma história que se passava naquele lugar. Quando eu era criança, li no colégio, no livro de inglês, um texto sobre o Liberty Bell em Philadelphia, e sempre sonhei em conhecê-lo. Até que fui até lá e vocês não podem imaginar a emoção que senti.

No caso do inglês especificamente, ler ajuda a ampliar o seu vocabulário. Você não precisa estudar as palavras do livro, nem ir procurar o significado delas num dicionário. De tanto você ler, você acaba aprendendo as palavras pelo seu significado no contexto. É incrível como isso funciona!

Uma das vantagens da leitura é que você pode escolher o livro que vai ler. Procure um assunto que você goste. Não importa o que você estiver lendo. Você vai se divertir se o assunto for do seu agrado.

Se você já gosta de ler, continue lendo sempre mais. Se você acha que não gosta, é porque está lendo pouco! Tente ler mais e logo estará apaixonado.

Até mais,

Carlos

Dica 610 – Cante “Red Solo Cup” e aprenda a falar inglês melhor

fevereiro 19, 2015

Eu já falei diversas vezes que músicas ajudam muito a aprender inglês. Eu até já publiquei o livro “Aprenda Inglês Cantando e Aprenda a Cantar em Inglês” com dicas de como aprender inglês com música.

Quando você canta em inglês, você aprende a juntar as palavras, coisa que às vezes é difícil quando você está falando. Na música você precisa seguir o ritmo e cantar sem ficar parando entre uma palavra e outra. Além de ajudar na fluência, cantar faz você repetir muitas e muitas vezes as mesmas frases. Essas frases vão ficando na sua cabeça e vão formando o seu repertório linguístico. Um dia, sem perceber, você usa uma dessas frases numa conversa. É muito legal quando isso acontece!

Hoje eu estava correndo na esteira na academia e, como sempre, ouvindo músicas e cantando junto. Foi quando me dei conta que a música “Red Solo Cup”, que foi cantada no oitavo episódio da terceira temporada de “Glee”, é muito mais falada do que cantada. Cantar (ou no caso, falar) essa música, além de ser divertido – afinal, é uma música sobre um copinho descartável – pode ajudar muito o seu inglês. Experimente!

Há muitas músicas que tem partes faladas no meio e elas podem ajudar bastante a desenvolver o seu inglês. Procure outras de que você goste, pratique e divirta-se!

Não é fácil decorar uma música inteira. Às vezes pode levar vários dias. Hoje, enquanto eu corri por cerca de 40 minutos na esteira, eu fiquei repetindo sempre a mesma música, e ainda não consigo cantar inteirinha. É um exercício de paciência e determinação, mas quando você consegue cantar a música inteira, que alegria!

Só como curiosidade, quase todas as músicas de “Glee” são regravações de outras músicas. Aqui está o vídeo da música original com Toby Keith para você conhecer e cantar junto:

Até mais,

Carlos

Dica 609 – Pare de querer se divertir!

fevereiro 12, 2015

Hoje em dia eu sinto que as pessoas só querem saber de se divertir. Ninguém pode ter um momento chato na vida. Tudo tem que ser agradável e divertido do começo ao fim.

A aula de inglês tem que ser como um circo. O aluno precisa estar dando risada e se sentindo feliz o tempo inteiro. Ai do professor que der uma atividade que os alunos achem chata… Está fadado a ouvir reclamações por todos os lados.

Eu não sou contra a diversão. Eu também gosto que os meus alunos se divirtam… um pouco. Mas para se aprender alguma coisa, tem também que se passar por uma parte chata. Nada é apenas diversão. Uma aula minha tem muita coisa que não é só diversão. Afinal, para o aluno aprender, precisa se esforçar um pouco também.

Vamos esquecer um pouco da aula de inglês. Vamos pensar em outras coisas. Uma academia de ginástica, por exemplo. Você vê o pessoal levantando peso, empurrando máquinas pesadas com as pernas, fazendo abdominais, etc, e ninguém está sorrrindo. A maioria faz cara de sofrimento enquanto faz esforço. Se você parar e ficar observando é até engraçado ver as caretas que fazem. Quando acabam de fazer o exercício, porém, muitos vão até o espelho e ficam observando os músculos se definindo, e é aí que eles sorriem. É aí que o momento de prazer aparece – ao ver o resultado do esforço. Tem até gente que passa mais tempo se olhando no espelho do que fazendo os exercícios…

Uma bailarina que ensaia horas e horas por dia sente dores horríveis no corpo todo. Os dedos do pé ficam destruídos. Ela sofre durante os ensaios. Mas ao se apresentar no palco, na frente de uma platéia, é uma alegria só… no final, quando recebe os aplausos.

Um escritor sofre para escrever o seu livro. É claro que ele tem uma ideia na cabeça, mas muitas vezes fica horas e horas sentado na frente do computador e não sai nada. Ele se desespera, acha que perdeu a capacidade de escrever, escreve muita coisa e depois apaga, tem vontade de jogar tudo para o ar… Mas depois de o livro pronto e publicado, ele fica feliz com o resultado.

Um cozinheiro precisa descascar batatas, picar cebolas, lavar as verduras, e tudo isso é muito chato. Ele fica cheirando mal, os olhos ardem, fica horas em pé na cozinha, mas quando serve um prato e as pessoas elogiam a sua comida… que prazer ele sente! Tudo vale a pena.

Ensaiar uma peça de teatro dá um trabalho enorme. Os atores tem que passar um tempão decorando o seu texto e isso é chato às vezes. Ficar ensaiando e repetindo a cena centenas de vezes – por mais que se goste do que faz – é cansativo. Isso sem falar em ter que aguentar um diretor exigente que às vezes fica bravo, grita e reclama. Eu já fui diretor de teatro e sempre dizia aos atores no final da cena: “Ficou bom, mas pode ser melhor. Vamos tentar mais uma vez.” Mas no final de tudo, apresentar a peça e receber os aplausos da platéia, ou ouvir o riso, o choro e todas as reações do público é maravilhoso. Todo o esforço é compensado.

Aprender inglês também é assim, gente! Tem que esforçar, passar por momentos difíceis, sofrer um pouco, para chegar ao resultado final.  Quando você aprende uma estrutura nova, é difícil conseguir falar uma frase completa corretamente e numa velocidade natural. A gente fala devagar, procurando as palavras e pensando muito no que vai dizer. Mas não pode parar aí. Você tem que repetir a frase dezenas de vezes até conseguir falar a frase de uma maneira natural. Eu costumo dizer para os meus alunos: “OK, agora repita muitas vezes até conseguir falar como uma pessoa normal!”

Não dá tempo de o aluno repetir a mesma frase dezenas de vezes numa sala de aula. E além disso, cada pessoa é diferente. Um aluno pode conseguir depois de vinte repetições e outro pode precisar de trinta. Por isso esse trabalho deve ser feito por conta própria, em casa.

Tem aluno que reclama: “Mas é muito chato ficar repetindo muitas vezes a mesma frase!” É mesmo, mas no final de muitas e muitas repetições, quando você conseguir falar aquela frase corretamente no meio de uma conversa, aquilo será uma alegria. O momento de alegria e prazer virá depois do esforço feito.

Até aprender a cantar uma música dá trabalho – se você quer aprendê-la corretamente. Você precisa repetir muitas e muitas vezes até cantar corretamente. Eu mesmo, que já sei inglês, levo dias para decorar uma música nova. Fico cantando horas e horas seguidas, no meu carro, na cozinha, no banheiro, etc. Eu me divirto com isso, mas dá trabalho.

Eu tive o meu maior momento de prazer com o inglês muitos anos depois de ter começado a aprender a língua. Eu já era professor de inglês, inclusive. Acho que já contei essa história aqui, mas conto outra vez, pois professor adora repetir as coisas. Isso aconteceu quando fui a Nova Iorque e assisti pela primeira vez ao musical “Les Miserables“. Eu saí do teatro completamente emocionado, olhei para o céu e agradeci a Deus por eu ter aprendido inglês, só para poder assistir e entender aquela peça. Todo o tempo que eu passei estudando e as horas de prática e exercícios, e os dias decorando os verbos no passado, tudo foi recompensado pelo prazer de assitir ao Les Miserables“. O prazer e a  diversão que senti naquele momento fez tudo valer a pena.

O prazer e a diversão não são sempre imediatos. Você precisa se esforçar muito e passar por alguns momentos chatos para poder chegar lá. Tem até aquela música da Britney Spears que diz que se você quer ter um corpo maravilhoso, se quer ter uma mansão com piscina, um carro maravilhoso na garagem… tem que trabalhar! É isso aí!

Por isso, pare de achar que tudo na aula de inglês tem que ser só diversão. Faça a parte chata com vontade. Esforce-se! Você vai aprender bastante, vai melhorar muito o seu inglês e depois vai se divertir muito com ele.

Até a proxima,

Carlos

 

Dica 608 – thetalklist.com

janeiro 30, 2015

Eu já falei algumas vezes que, mais importante do que estudar inglês, o que você precisa é colocar o inglês que estuda em prática. Praticar significa usar o inglês no dia-a-dia: assistir a filmes, ler, conversar, cantar em inglês e tudo o mais que você pode fazer.

Hoje em dia existe muito material online e você consegue achar tudo o que quer – e até coisas que você nem sabia que queria.

Conheci recentemente o site The Talk List (http://www.thetalklist.com/), que oferece oportunidades de você conversar em inglês com nativos e falantes de inglês do mundo todo.

O site não oferece exatamente aulas de inglês. Ele é um complemento para a sua aula de inglês, mas também funciona como uma aula de conversação onde você vai aprender até bastante vocabulário. É para você praticar o seu inglês.

As sessões de conversação são pagas, e o preço varia de acordo com a pessoa com a qual você vai conversar. Para você se inscrever no site não precisa pagar nada e a primeira sessão é gratuita, então vale a pena experimentar. As sessões têm preços bem razoáveis e você pode pagar com o seu cartão de crédito. Você faz um depósito, e depois vai abatendo as sessões que fizer, como um telefone pré-pago.

Uma das coisas que achei bacana é que você pode escolher a pessoa com quem vai conversar (os chamados tutores) de acordo com o assunto de interesse. Se você quer conversar sobre business, por exemplo, escolha alguém especializado no assunto. Os tutores têm os mais variados backgrounds, e isso garante que você vai poder conversar sobre os mais diversos assuntos. Outra vantagem é que você pode escolher o horário da sua sessão. Como os tutores estão espalhados pelo mundo, você consegue marcar sessões a qualquer horário do dia e da noite. Já pensou conversar com alguém em inglês às 2 da madrugada? Pelo menos você não vai poder usar aquela desculpa de que não tem tempo.

Não existe nenhuma obrigação de número de aulas. Você pode fazer quantas quiser e se não gostar de um tutor, por exemplo, pode escolher outro na próxima vez. Além disso, os primeiros 5 minutos de cada sessão também são grátis. Você pode desistir se houver dificuldades técnicas ou se não gostar do tutor.

Pelo que vi no site, os tutores são avaliados pelos alunos e são classificados na lista em ordem dos mais populares. Você já tem alguma referência para escolher. Como todos os instrutores são treinados, acredito que deve haver um padrão de qualidade.

As sessões são de 25 minutos, mas você pode fazer agendar duas sessões juntas se quiser uma sessão de maior duração.

Esse video explica um pouco mais como o site funciona. Assista:

Como eu costumo dizer, você nunca pode dizer se algo é bom ou não se não experimentar antes. Como a primeira sessão é grátis, aproveite e faça um teste. Depois se quiser, faça outras pagando. Você pode fazer uma ou mais sessões por semana, ou uma a cada duas semanas, ou até uma por mês. Tudo depende da sua disponibilidade de tempo e de dinheiro.

Se você fizer uma ou mais sessões, escreva para mim contando como foi. Posso compartilhar a sua experiência com os outros leitores do blog. Quando a gente descobre algo novo, sempre é bom compartilhar.

Até mais,

Carlos