Posts Tagged ‘combat’

Dica 581 – Ano novo, atitude nova?

janeiro 15, 2014

Feliz ano novo!

E aí, o ano já começou para você? Tem gente que fala que o ano só começa depois do Carnaval, mas este ano com tantos eventos como a Copa do Mundo vai ter muita desculpa para parar o ano e tirar umas férias. Qual vai ser a sua atitude?

Nessa época do ano muita gente me procura para pedir aulas particulares e muitas pessoas enchem as escolas de inglês para se matricular num curso, pois é a época das novas decisões e do “esse ano eu vou aprender inglês”. Mas para muitas dessas pessoas nada muda. O que precisa mudar, é a sua atitude.

Lá na academia também, muita gente se matricula nas aulas de várias modalidades, pois dizem “esse ano vou entrar em forma”. E muda alguma coisa? Não para a maioria.

Aprender inglês, como qualquer outra coisa, requer esforço e dedicação. Não é preciso começar o ano para isso – é só começar e pronto! E temos que saber que vai haver momentos chatos, momentos difíceis, mas que tudo vai levar a um resultado bom e prazeroso. E que temos que tentar, tentar e tentar até conseguir

A minha aula de Body Combat teve duas semanas de férias desde o Natal e agora voltou com força total. Eu acho interessante observar alguns dos meus colegas, pois essa coisa da atitude serve para tudo na vida. Uma das sequências  que nós fazemos na aula consiste em dar 16 chutes com a  mesma perna, sem apoiar o pé no chão – ou seja, num pé só. Claro que é difícil no começo, principalmente por causa do equilíbrio. Mas como cada sequência da aula dura uns 4 meses, temos tempo de aprender até o Marco (nosso professor) começar a nova sequência. Eu venho tentando dar esses chutes desde o começo. Nas primeiras aulas, eu conseguia dar só uns dois e caia.Hoje eu já consigo uns 14 e só caio no final. Melhorei bastante, né? Uma colega minha, quando chega nessa parte vai até a parede e apoia a mão, para manter o equilíbrio. Qual o resultado? Passado vários meses, ela ainda se apoia na parede e se tiver que soltar não vai conseguir dar chute nenhum. Enquanto os outros foram tentando e conseguindo, ela não caiu nenhuma vez, mas também não aprendeu nada. Que lição você tira sobre a atitude dessa colega?

Aprender envolve correr riscos. Se você não se arriscar, não consegue aprender. É um processo de tentativa e erro. E o erro vai ajudar você a aprender mais.

Não importa se o ano é velho ou novo. O importa é você ter uma atitude nova! Vá em frente que aprender inglês dá certo!

Até mais,

Carlos

Anúncios

Dica 532 – O exemplo de Hugh Jackman

janeiro 17, 2013

Você não pode perder o filme Les Miserábles, adaptação do musical apresentado no mundo inteiro, inclusive no Brasil. O filme ganhou o Golden Globe de melhor filme comédia ou musical deste ano, além dos prêmios de melhor atriz coadjuvante para Anne Hathaway e melhor ator para Hugh Jackman.

Muita gente que conhece Hugh Jackman só pelo seu papel de Wolverine não sabe que ele é um super ator de teatro musical e que canta maravilhosamente.

O que me impressionou foi o seu discurso de agradecimento ao receber o Golden Globe. Vejam:

Reparem na parte em que ele diz que três semanas antes de começarem as filmagens ele teve um ensaio tão ruim e tão humilhante, que chegou em casa dizendo que ia ligar para o diretor e pedir para sair do filme. Ele achava que não ia conseguir fazer e que era demais para ele. Foi a sua mulher que o convenceu a ficar. E ele fez um trabalho maravilhoso a ponto de ganhar o Golden Globe e de estar indicado para o Oscar.

Todos nós temos nossos medos e nossas inseguranças. Não importa se você já é um ator consagrado e talentoso. Fazer um novo papel, como eu disse na dica anterior, é dar um salto no escuro. É tentar coisas novas. Dá medo! A gente acha que não vai conseguir. Se o Hugh Jackman tivesse desistido, talvez tivesse ficado frustrado para sempre. Ao invés disso, ele tentou. Deve ter sofrido muito no processo, mas chegou lá.

É um exemplo para todos nós, não acham? Quantas vezes nós achamos algo difícil e desistimos antes de mesmo de tentarmos? Quantas vezes desistimos depois da primeira dificuldade? E depois ficamos frustrados por não ter conseguido, quando na verdade não tentamos o suficiente.

Eu já escrevi aqui que eu pratico Body Combat. A aula de Body Combat – que eu já faço há uns 5 anos – mistura aeróbica com movimentos de luta. Você não bate em ninguém –  só no ar – e gasta muita energia. As aulas são sempre iguais por vários meses. Repetimos sempre os mesmos movimentos, as mesmas coreografias. Depois de alguns meses, muda a sequência da aula com novas coreografias e tudo se repete por mais alguns meses. Quando entra um aluno novo, ele demora a aprender os movimentos. Nas primeiras aulas, ele erra mais do que acerta, cansa, não aguenta fazer até o fim – a aula dura uma hora – e acha tudo difícil. Mas com o tempo vai aprendendo e vai conseguindo fazer cada vez melhor. Quando nós começamos uma coreografia nova, já é mais fácil, pois muitos dos movimentos se repetem. Mas mesmo os alunos mais antigos demoram um pouco a pegar a nova sequência.

Há alguns dias a minha amiga Marta foi fazer uma aula de Body Combat e estava apreensiva, pois não costumava fazer essa aula. Estava naquela preocupação de fazer tudo errado. E nós falamos para ela que é assim mesmo, que no começo a gente erra mesmo. No entanto, ontem ela me disse antes da aula: “Hoje é a minha quinta aula, e sabe que eu estou começando a gostar?” Pois é, à medida que vamos fazendo, vamos acertando mais, vamos nos sentindo mais seguros e vamos sentindo mais prazer também. Se a Marta tivesse desistido na primeira aula, não teria chegado a esse momento de prazer. E ela fez apenas cinco aulas. Imagina como se sentirá depois de trinta aulas?

Esses exemplos complementam a dica anterior. Eles servem para tudo, inclusive para o seu inglês. Lembre-se de que é normal ter dificuldades, principalmente quando vamos fazer algo novo, mas as dificuldades são superadas com trabalho e dedicação. Enquanto o medo nos paralisa, os desafios nos levam para a frente.

Até mais,

Carlos