Posts Tagged ‘escola’

Dica 572 – Vá atrás das coisas

outubro 2, 2013

Eu ainda me impressiono muito com a quantidade de pessoas que espera que as coisas venham até elas de mão beijada.  E não vão atrás do que querem. Hoje em dia, com tanta facilidade para conseguirmos tudo o que quisermos, não dá para ficarmos sentados esperando as coisas virem até nós. Se você quer alguma coisa, mexa-se!

Quer aprender inglês? Quer aprender mesmo? Vá atrás do seu objetivo. Faça alguma coisa por você mesmo!

Eu vejo alunos que ouvem uma palavra nova na sala de aula, por exemplo. Eles não entendem a palavra e deixam por isso mesmo. Quantas vezes um aluno vem me dizer que não fez um determinado exercício da lição de casa por que havia uma palavra que ele não tinha entendido. E por que não procurou? Há tantos dicionários por aí! Há dicionários online de todos os tipos. Se você digitar a palavra no google images, por exemplo, consegue ver a imagem da palavra. Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras. Ao digitar a palavra no google images aparecem centenas de imagens. Se cada uma vale por mil palavras, imagina quantas ilustrações da mesma palavra você pode ter! Você só não visualiza se não quiser.

Há muitos dicionários impressos e online. Cada dicionário tem definições e exemplos com as palavras. Se você não entender a explicação de um deles, procure em outro. Lendo muitas definições e muitos exemplos, uma hora a ficha cai e você entende.

Não entendeu um determinado ponto gramatical? Se estuda em uma escola, peça uma ajuda ao seu professor. Peça para ele explicar de novo. Peça novos exemplos. Peça a ele para indicar um livro para fazer exercícios extras de gramática. Encontre o livro e estude, pratique, até aprender. Se achar que ainda não entendeu, estude e pratique mais um pouco. É do seu interesse. Se você estuda por conta própria, vá atrás de exercícios. Ter um livro de gramática é importante também. Faça exercícios online. Faça alguma coisa!

Eu costumo dizer aos meus alunos que coloco a bola na frente deles, mas quem tem que chutá-la são eles mesmos. Se errarem o gol, precisam repetir centenas de vezes, que as chances de acerto vão aumentando. Não adianta querer que a bola se mexa sozinha. Isso não acontece.

Se você prestar atenção à sua volta, vai ver que as pessoas que se saem melhor em qualquer coisa são aquelas que fazem algo para que isso aconteça. A diferença entre aprender ou não é tentar, se esforçar. Aquela velha frase que diz que é “1% de inspiração e 99% de transpiração” é a mais pura verdade.

Eu sou muito criativo e tenho muitas ideias ótimas, mas se eu não sentar e escrevê-las, elas não saem por conta própria. Não adianta ter uma ideia maravilhosa se a ideia fica dentro da sua cabeça. Para escrever um post no blog, por exemplo, eu fico um tempão na frente do computador. Escrevo, corrijo, escrevo novamente e esse processo continua até que me dou por satisfeito.

Para aprender a cantar uma música nova, passo dias e dias ouvindo só aquela música e cantando sem parar, até conseguir cantá-la por inteiro. É um processo longo, mas que dá resultado. E é assim com tudo.

Como professor, acho que a minha função principal não é ensinar inglês. Mais importante do que isso, é ensinar as pessoas a se virarem sozinhas, a ir atrás das coisas, pois é só assim que elas vão aprender de verdade. Afinal, elas não vão ser alunas a vida inteira. A ideia é justamente treiná-las a serem independentes.

Não adianta chorar e dizer, “Eu não entendo isso.” O que você vai fazer para entender? Vá atrás, descubra, experimente, mexa-se! Você é capaz, sim! Depende do seu esforço e da sua vontade!

Até mais,

Carlos

Anúncios

Dica 489 – Quantas coisas da sua vida você já sabe falar em inglês?

agosto 15, 2012

Fazer uma auto-avaliação do nosso inglês é sempre importante no processo de aprendizagem. Precisamos ter a consciência de quanto o nosso inglês está melhorando. E também de quais são os nossos pontos fortes e de onde precisamos melhorar mais.

Uma ideia interessante é você tentar medir quantas coisas da sua vida você já sabe falar em inglês. Faça esse teste com você mesmo. Durante um dia, tente dizer tudo o que acontece com você em inglês. Quando estiver fazendo alguma atividade, vá descrevendo mentalmente em inglês tudo o que está fazendo. Quando tiver alguma conversa com alguém, tente depois reproduzir a mesma conversa em inglês. Será que você consegue dizer tudo aquilo em inglês?

Lembre-se de que as coisas que você fala no seu dia-a-dia são mais ou menos parecidas, pois fazem parte da sua rotina. E são coisas que você precisa também saber falar em inglês, seja por motivos pessoais ou profissionais.

Se há coisas que você ainda não sabe falar em inglês, é uma boa indicação do que você precisa estudar e praticar mais. Lembre-se de sempre pensar pelo lado positivo. São coisas que você ainda não sabe, mas que um dia vai saber. A partir daí você pode pesquisar e tentar aprender mais. Se você estuda num curso de inglês e está querendo aprender alguma coisa nova, não precisa esperar o seu professor ensinar. Vá procurar por conta própria. E aprenda mais.

Quanto mais você usar o inglês na sua vida, melhor ele vai ficar. Procure incluí-lo sempre que puder.

Até a próxima,

Carlos

Dica 475 – Aprenda com os seus erros

junho 20, 2012

Nessa época do ano sempre acontece a mesma coisa. Nos colégios regulares acontecem as provas de final de bimestre e saem as notas finais. Nas escolas de inglês, terminam os semestres e os alunos são aprovados ou não para o próximo nível. E todo mundo só quer saber de uma coisa: “Quanto eu tirei?” Na última aula, os alunos querem pegar as suas notas e ir embora. E querem saber se passaram e ponto final.

Isso não ocorre só nas aulas de inglês e infelizmente é uma característica muito triste do nosso sistema educacional. As pessoas se esquecem do que vão fazer na escola. Lembre-se de que você vai para a escola para aprender. Mais do que saber a sua nota, você precisa ter a noção do que aprendeu e do que não aprendeu. Por isso, o mais importante não é você pegar a nota. Você precisa olhar a sua prova ou o seu teste com cuidado e prestar atenção nos seus erros. Precisa entender onde errou e porque errou. E a partir dali, tentar aprender o que ainda não aprendeu.

Na minha última aula do semestre eu mostro as provas aos alunos e leio com eles item por item. E a cada item que lemos, peço que eles me expliquem em voz alta o que erraram. Depois que eles explicam o que erraram eu pergunto se entenderam porque erraram e se agora sabem qual é a resposta correta. Esse processo é importante porque os nossos erros nos ensinam muito. Mesmo tendo errado e corrigido, pode ser até que erremos novamente a mesma coisa. Mas esse processo nos levará um dia a aprender.

Eu não me importo se um aluno passou com nota 80, 90 ou 100. A nota é apenas um número e não reflete necessariamente tudo o que o aluno sabe. Muitos alunos excelentes tiram uma nota um pouco mais baixa, pois arriscam escrever coisas diferentes e acabam escrevendo alguma coisa errada. Outros alunos que não sabem tanto, escrevem as frases mais simples possíveis, acertam tudo, tiram uma nota mais alta, mas têm um domínio menor sobre a língua.

No dia que você precisar falar inglês, não vai importar a nota que você tirou na prova. Não vai importar se você precisou refazer um curso, pois não tinha aprendido suficiente. Vai importar o que você consegue falar.

Olhar os seus erros como uma oportunidade para aprender é algo que precisamos aprender a fazer. Isso nos ajuda a aprender mais. Não é para você olhar o seu erro e dizer: “Ai, como eu sou burro!” Não existem erros ruins ou bons. O erro apenas mostra algo que você ainda não sabe fazer. Mesmo que seja alguma coisa muito básica e que outras pessoas da sua turma já sabem, não é vergonha nenhuma não saber. Corrigindo os seus erros e entendendo o que fez você errar, você vai aprender também.

O teste – assim como qualquer exercício que você faz – é sempre uma maneira de você se auto-avaliar e de saber o que você já está conseguindo produzir ou não. E de corrigir o seu rumo para aprender mais e melhor. Se você não pensa sobre o que errou, vai continuar fazendo os mesmos erros e vai continuar não entendendo porque está errando.

Não tenha vergonha dos seus erros. Aprenda com eles. Aprenda a gastar um tempo pensando sobre os seus erros. Isso vai fazer você aprender sempre mais.

Até a próxima,

Carlos

Dica 472 – Use o inglês nas horas de folga também

junho 6, 2012

Com um feriadão de quatro dias se aproximando, muita gente se prepara para descansar. É uma excelente oportunidade para relaxar, tanto para quem viaja quanto para quem fica em casa. O que me impressiona é esta frase que ouvi de um aluno adulto na escola de inglês:

“Graças a Deus vai ter um feriadão de quatro dias. Posso ficar quatro dias sem pensar no inglês!”

Não é incrível a quantidade de gente que ainda pensa que o inglês é apenas uma matéria escolar? Afinal, para que nós estudamos inglês?

Nós não estudamos inglês apenas para passar nas provas do curso ou para responder as perguntas do livro de inglês. Nós estudamos inglês para sabermos o suficiente para nos comunicarmos, para lermos, para entendermos o que falam para a gente ou o que ouvimos num filme ou numa música. É esse o nosso objetivo. Ou pelo menos deveria ser.

Se você é uma criança e vai para a aula de inglês porque os seus pais querem que você aprenda inglês, talvez até dê para entender esse pensamento. A criança muitas vezes não vê a necessidade de aprender inglês. Mas partindo de um adulto, que foi voluntariamente se matricular numa escola de inglês isso é inconcebível.

Você aprende inglês para usá-lo na sua vida. Mas mais do que isso, é usando-o que você aprende. Por isso é importante que você use o inglês nas horas vagas também. Afinal de contas, é nessas horas que você pode precisar do inglês – numa viagem de férias por exemplo.

Não estou dizendo para você estudar inglês no feriado ou no fim-de-semana. Estou dizendo para usá-lo. Como você vai usá-lo depende de você. Você pode ouvir uma música, assistir a um filme, ler um livro, ler uma notícia na internet, qualqer coisa. Você não vai fazer nada disso porque é bom para o seu inglês. Você vai fazer isso porque é uma maneira de se divertir ou de se informar usando o inglês que você já sabe. E como consequência, o seu inglês vai ficar cada vez melhor.

É tudo uma questão de ponto de vista, de como você encara o inglês na sua vida. Ele não é o seu objetivo. Ele é um instrumento que vai possibilitar que você faça outras coisas que vão ser boas para você.

Aproveite o feriadão ou qualquer fim-de-semana ou feriado para pensar em quanta coisa você pode fazer usando o seu inglês. E depois de pensar, ponha isso tudo em prática. Você vai ver que é muito mais fácil do que parece.

Até mais,

Carlos

Dica 433 – Carnaval em inglês

fevereiro 17, 2012

O Carnaval está aí!

É uma festa tipicamente brasileira, mas você sabe falar sobre ela em inglês? Quem sabe se um dia você vai encontrar algum turista aqui no Brasil e ter que explicar para ele como é o Carnaval? Ou pode ser que você vá viajar para o exterior e queira contar sobre o Carnaval para o pessoal de lá.

Aqui está um vídeo que fala sobre o Carnaval e sobre o desfile das escolas de samba. Você já sabe bastante sobre o Carnaval e por isso, mesmo que o seu inglês não seja tão bom, vai conseguir entender bastante.

Assim como este, você pode encontrar outros vídeos em inglês sobre o Carnaval. Assista e pratique o seu inglês de maneira diferente. Lembre-se de que você tem que estar preparado para conversar sobre vários assuntos em inglês. Quanto mais variado for o seu vocabulário, melhor para você.

Bom Carnaval e até mais,

Carlos