Posts Tagged ‘learnwithvideos’

Dica 627 – O Segredo do Sucesso é o Fracasso

setembro 13, 2016

Um artigo na revista “Você S/A” que eu acabei de receber, intitulado A Importância do Fracasso, começa dizendo que “Para alcançar o sucesso é preciso, primeiro, aprender com o fracasso.” É uma afirmação importante, que muita gente não se dá conta. As pessoas morrem de medo de errar. Parece que errar é uma coisa horrível. Que é o fim do mundo. Mas não é. Fracassar é fundamental no aprendizado.

Fracassar, como diz o artigo da Você S/A, é crucial para o desenvolvimento. E o avanço só acontece se nós encararmos os erros como processos de aprendizagem.

Isso é verdade para qualquer coisa, mas vamos pensar aqui no aprendizado de línguas.

Pense em você mesmo quando aprendeu a sua língua nativa. Você não começou falando tudo certo. Você falava errado, as pessoas te corrigiam uma duas, três… muitas vezes, até você aprender a falar corretamente. Mas para você foi importante tentar, experimentar com a língua. Se você não se lembra de como foi o seu aprendizado, pois afinal era muito pequeno, observe uma criança pequena aprendendo a falar.

Para aprender inglês, você precisa passar pelo mesmo processo. Tentar, errar, se corrigir, errar novamente e assim por diante, até acertar.

Hoje eu estava dando aula para uma aluna particular e fiz um vídeo no celular onde ela falava algumas coisas. Acabando de filmar, assistimos ao video juntos, e eu apontei os seus erros. Aí gravamos mais uma vez e assistimos novamente. Ela mesma me disse: “Aqui eu errei novamente. Aqui eu acertei.” Perceber os erros, já é um caminho em direção ao acerto. Com certeza ela ainda vai errar outras vezes, mas ter consciência dos erros, já é um grande passo.

Quando você tenta conversar em inglês, vai acontecer de a pessoa com quem você está falando não entender você. Pode ser o seu colega na aula de inglês, ou pode ser uma pessoa com quem você está conversando na rua. Errar e perceber que a pessoa não entendeu, vai fazer você tentar falar de uma outra maneira, para se fazer entender. Você vai criando estratégias que vão ajudar a se comunicar melhor. Isso também é um aprendizado.

Num exercício escrito, quando você erra, você tem uma grande oportunidade de aprender mais. Vendo o que errou e pensando em como poderia corrigir aquilo, você acaba aprendendo bastante.

O importante sempre é a sua atitude em relação ao erro. Ter um fracasso, não significa que você é um fracasso. Você fracassou, no seu caminho para aprender. Se ficar só se lamentando e se auto-flagelando, não vai aprender nada. O fracasso mostra que você fez uma escolha errada. Pense agora na próxima escolha. Se ela for errada também, fracasse e tente novamente. Em algum momento você vai acertar.

Pense num cientista que realizou uma experiência e descobriu algo incrível. Ele teve um sucesso no final, mas antes disso ele teve centenas de fracassos. Se pensar bem, o número de fracassos dele foi muito maior do que o número de sucessos. Mas foram esses fracassos que o levaram ao sucesso! Entre uma tentativa e outra, o cientista pesquisou mais, estudou, se aprimorou e tentou de novo.

Você errou? Tente mais uma vez. Estude mais, pesquise mais, faça mais exercícios e tente de novo. Não se lamente por ter errado. Você terá novas chances de aprender.

Aceite os seus erros, pense sobre eles e não sofra. Todo mundo erra!  Lembre-se disso!

Siga em frente e vai aprender cada vez mais e melhor!

Até a próxima,

Carlos

 

Anúncios

Dica 618 – Um Festival de Línguas – A pronúncia do TH – Parte 2

julho 9, 2015

Aqui está mais um “Festival de Línguas” para você praticar a pronúncia do som de TH em inglês. Mais do que ensinar, montei esse vídeo para convencer os estudantes de inglês que colocar a língua para fora para falar o TH é normal entre os nativos. E se eles fazem, você pode fazer também.

Assista e pratique!

Muitos estudantes de inglês ficam com vergonha de colocar a língua para fora para fazer o som de TH. Mas se você não fizer isso, o som não vai sair correto. Você pode perceber pelo vídeo que tem gente que põe a língua bem para fora e outros que só põe um pedacinho para fora. Mas todos o fazem. Eu sempre recomendo que no começo você exagere um pouco. E que sempre pense antes de falar o TH e se lembre de colocar a língua no meio dos dentes. Se você fizer isso muitas vezes, o ato vai acabar se tornando automático e você vai conseguir fazê-lo sem pensar. É só uma questão de prática.

Continue praticando e você vai melhorar cada vez mais.

Até a próxima,

Carlos

 

Dica 617 – Um festival de Línguas – A pronúncia do TH – Parte 1

julho 8, 2015

Uma das maiores dificuldades que eu tenho no ensino do inglês é fazer os meus alunos acreditarem que para pronunciar o som de TH eles precisam colocar a língua para fora no meio dos dentes. No Brasil, falar assim é considerado um defeito de fala – é o que a gente costuma chamar de “ter a língua presa”. No entanto, no inglês, essa é a maneira correta de falar. E para falar corretamente é preciso praticar bastante.

Para convencer os meus alunos de que é assim mesmo, eu costumo mostrar cenas de filmes e seriados onde dá para se ver claramente a língua saindo para fora. Por isso montei esse vídeo que eu chamei de “Festival de Línguas”. Assista, preste atenção às línguas que vai ver, e pratique bastante.

Aprender a pronunciar corretamente é um trabalho mecânico. Você precisa se esforçar bastante. No início você precisa pensar bastante no que está fazendo. Tem que ser uma atitude consciente. Se praticar muito, vai chegar um dia em que você vai fazer isso sem pensar. Quanto tempo isso vai levar, vai depender de você.

Para você melhorar, você precisa primeiro querer melhorar. E se dedicar a isso. Você consegue. Como diz o título de um dos meus livros, “Você Consegue Aprender o Que Quiser”.

Espero que esse vídeo ajude. Logo virão outros. Aguardem!

Até mais,

Carlos

Dica 616 – Pratique a pronúncia do TH com música

maio 31, 2015

Todo mundo gosta de cantar. O que varia é o gosto pessoal de cada um. O tipo de música que você gosta pode ser diferente do tipo de música que eu gosto. De qualquer maneira, essa dica pode ser usada com qualquer música. Basta você escolher uma música de que goste e fazer o mesmo que eu fiz com essa.

Nesse vídeo eu dou um exemplo de como praticar a pronúncia do TH cantando. Eu usei a música “The Lady Is a Tramp” cantada p0r Frank Sinatra. Use essa música, ou escolha uma outra qualquer. Se você praticar bastante cantando, vai ver que quando for falar, vai acabar falando com a pronúncia correta também.

Veja o vídeo e depois mande um comentário dizendo o que achou.

Ter uma boa pronúncia exige bastante trabalho muscular. Você precisa mexer e boca e a língua da maneira correta e muitas vezes isso é diferente da maneira como se faz em português. Por isso dá trabalho. Mas com a repetição constante, o seu corpo vai se acostumando e um dia você vai fazer corretamente. O importante é a prática e a persistência.

Continue praticando, que você vai chegar lá!

Até a próxima,

Carlos

Dica 615 – Como aprender inglês sem esforço

maio 5, 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dica 610 – Cante “Red Solo Cup” e aprenda a falar inglês melhor

fevereiro 19, 2015

Eu já falei diversas vezes que músicas ajudam muito a aprender inglês. Eu até já publiquei o livro “Aprenda Inglês Cantando e Aprenda a Cantar em Inglês” com dicas de como aprender inglês com música.

Quando você canta em inglês, você aprende a juntar as palavras, coisa que às vezes é difícil quando você está falando. Na música você precisa seguir o ritmo e cantar sem ficar parando entre uma palavra e outra. Além de ajudar na fluência, cantar faz você repetir muitas e muitas vezes as mesmas frases. Essas frases vão ficando na sua cabeça e vão formando o seu repertório linguístico. Um dia, sem perceber, você usa uma dessas frases numa conversa. É muito legal quando isso acontece!

Hoje eu estava correndo na esteira na academia e, como sempre, ouvindo músicas e cantando junto. Foi quando me dei conta que a música “Red Solo Cup”, que foi cantada no oitavo episódio da terceira temporada de “Glee”, é muito mais falada do que cantada. Cantar (ou no caso, falar) essa música, além de ser divertido – afinal, é uma música sobre um copinho descartável – pode ajudar muito o seu inglês. Experimente!

Há muitas músicas que tem partes faladas no meio e elas podem ajudar bastante a desenvolver o seu inglês. Procure outras de que você goste, pratique e divirta-se!

Não é fácil decorar uma música inteira. Às vezes pode levar vários dias. Hoje, enquanto eu corri por cerca de 40 minutos na esteira, eu fiquei repetindo sempre a mesma música, e ainda não consigo cantar inteirinha. É um exercício de paciência e determinação, mas quando você consegue cantar a música inteira, que alegria!

Só como curiosidade, quase todas as músicas de “Glee” são regravações de outras músicas. Aqui está o vídeo da música original com Toby Keith para você conhecer e cantar junto:

Até mais,

Carlos

Dica 572 – Vá atrás das coisas

outubro 2, 2013

Eu ainda me impressiono muito com a quantidade de pessoas que espera que as coisas venham até elas de mão beijada.  E não vão atrás do que querem. Hoje em dia, com tanta facilidade para conseguirmos tudo o que quisermos, não dá para ficarmos sentados esperando as coisas virem até nós. Se você quer alguma coisa, mexa-se!

Quer aprender inglês? Quer aprender mesmo? Vá atrás do seu objetivo. Faça alguma coisa por você mesmo!

Eu vejo alunos que ouvem uma palavra nova na sala de aula, por exemplo. Eles não entendem a palavra e deixam por isso mesmo. Quantas vezes um aluno vem me dizer que não fez um determinado exercício da lição de casa por que havia uma palavra que ele não tinha entendido. E por que não procurou? Há tantos dicionários por aí! Há dicionários online de todos os tipos. Se você digitar a palavra no google images, por exemplo, consegue ver a imagem da palavra. Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras. Ao digitar a palavra no google images aparecem centenas de imagens. Se cada uma vale por mil palavras, imagina quantas ilustrações da mesma palavra você pode ter! Você só não visualiza se não quiser.

Há muitos dicionários impressos e online. Cada dicionário tem definições e exemplos com as palavras. Se você não entender a explicação de um deles, procure em outro. Lendo muitas definições e muitos exemplos, uma hora a ficha cai e você entende.

Não entendeu um determinado ponto gramatical? Se estuda em uma escola, peça uma ajuda ao seu professor. Peça para ele explicar de novo. Peça novos exemplos. Peça a ele para indicar um livro para fazer exercícios extras de gramática. Encontre o livro e estude, pratique, até aprender. Se achar que ainda não entendeu, estude e pratique mais um pouco. É do seu interesse. Se você estuda por conta própria, vá atrás de exercícios. Ter um livro de gramática é importante também. Faça exercícios online. Faça alguma coisa!

Eu costumo dizer aos meus alunos que coloco a bola na frente deles, mas quem tem que chutá-la são eles mesmos. Se errarem o gol, precisam repetir centenas de vezes, que as chances de acerto vão aumentando. Não adianta querer que a bola se mexa sozinha. Isso não acontece.

Se você prestar atenção à sua volta, vai ver que as pessoas que se saem melhor em qualquer coisa são aquelas que fazem algo para que isso aconteça. A diferença entre aprender ou não é tentar, se esforçar. Aquela velha frase que diz que é “1% de inspiração e 99% de transpiração” é a mais pura verdade.

Eu sou muito criativo e tenho muitas ideias ótimas, mas se eu não sentar e escrevê-las, elas não saem por conta própria. Não adianta ter uma ideia maravilhosa se a ideia fica dentro da sua cabeça. Para escrever um post no blog, por exemplo, eu fico um tempão na frente do computador. Escrevo, corrijo, escrevo novamente e esse processo continua até que me dou por satisfeito.

Para aprender a cantar uma música nova, passo dias e dias ouvindo só aquela música e cantando sem parar, até conseguir cantá-la por inteiro. É um processo longo, mas que dá resultado. E é assim com tudo.

Como professor, acho que a minha função principal não é ensinar inglês. Mais importante do que isso, é ensinar as pessoas a se virarem sozinhas, a ir atrás das coisas, pois é só assim que elas vão aprender de verdade. Afinal, elas não vão ser alunas a vida inteira. A ideia é justamente treiná-las a serem independentes.

Não adianta chorar e dizer, “Eu não entendo isso.” O que você vai fazer para entender? Vá atrás, descubra, experimente, mexa-se! Você é capaz, sim! Depende do seu esforço e da sua vontade!

Até mais,

Carlos

Dica 571 – Uma ótima música para praticar o futuro com going to

outubro 1, 2013

Eu gosto muito de usar músicas para estimular o aprendizado de inglês, como você já deve ter percebido. Uma das coisas que gosto de fazer é pedir para os meus alunos acharem músicas das quais eles gostem com o ponto gramatical que estamos estudando. Muitas vezes eu levo uma música para a aula, mas que é do meu agrado ou alguma de que eu me lembrei quando preparava a aula. Nem sempre é uma música que os alunos curtem. Por isso, deixar que eles sugiram as músicas é uma boa ideia. Isso faz os alunos se envolverem mais com a aula. E isso também faz com que eles pensem um pouco sobre o que estamos estudando.

Numa das minhas últimas aulas para um dos meus grupos, eu estava trabalhando com o futuro com going to e perguntei se alguém conhecia alguma música onde essa estrutura aparecia. Na hora ninguém se lembrou de nada, mas na aula seguinte algumas alunas trouxeram essa sugestão: a música One way or another do grupo One Direction. Eu não conhecia a música, mas realmente é muito boa para treinar going to, principalmente por apresentar a combinação dessa estrutura com vários verbos diferentes e por dar a oportunidade de praticar bastante a pronúncia – going to se pronuncia gonna.

Veja o clipe com a letra na tela e cante junto:

Se você é fã do One Direction vai gostar da música com certeza. Se você não é, pode gostar dela também, pois é uma música bem gostosa, alegre e fácil de cantar.

Mas também se não gostar, pode procurar outra música com going to. Se achar uma do seu agrado, cante, divirta-se e pratique o seu inglês. E não esqueça de me contar depois. Eu conheço muitas músicas, mas há muitas outras que eu não conheço. Nem dá para a gente querer conhecer todas as músicas que existem, né?

Até a próxima,

Carlos

Dica 569 – Um vídeo para praticar os comparativos

setembro 19, 2013

Assistindo ao seriado “Suburgatory”, achei essa cena legal para praticar os comparativos. A atriz Carly Chaikin, que faz a personagem Dalia, fala uma frase bem longa e bem rápida que está cheia de comparativos. Veja:

Embora ela fale bem depressa, se você repetir bastante vai conseguir falar também. A própria atriz deve ter praticado muito antes de gravar, pois não é uma frase que se fala normalmente. Praticando bastante, de quebra você estará praticando os comparativos.

Falar inglês bem é uma questão de prática. Quanto mais você praticar, mais o seu inglês vai melhorar. Tudo depende de você. E com a quantidade de recursos que existem por aí hoje em dia, você tem mais é que aproveitar!

Até a próxima,

Carlos

Dica 564 – Até desenhos animados colocam a língua na posição correta

julho 28, 2013

Como eu já disse uma vez, para falar corretamente você precisa exercitar os músculos da boca. São eles que vão ajudar os sons a sair de maneira correta. E uma das coisas importantes nesse trabalho é colocar a sua língua na posição certa. Muitos alunos acham bobagem fazer isso, mas isso é tão importante que até criadores de desenhos animados prestam atenção a estes detalhes.

Vejam esta cena do seriado “High School USA”, onde a personagem Amber levanta a língua para falar o som de L na palavra Well.

Em português nós pronunciamos o L final como U. Nós dizemos “Braziu”, “aneu”, “pasteu”, e na nossa língua esse som está correto. No entanto, em inglês, o L final é pronunciado com a língua para cima, e isso pode causar problemas de entendimento para os nativos. Eu já presenciei americanos não entendendo o nome do nosso país, pois a pessoa falava “Braziu” com o som de U no final. Não é má vontade dos nativos. Eles simplesmente não reconhecem o som, pois é muito diferente do som usado na língua deles.

Vejam essa cena do filme “Hercules”, onde até o personagem de desenho coloca a língua para fora e entre os dentes para pronunciar o som de TH na palavra anything.

Existem dois sons de TH. O sonoro, que aparece em palavras como the, mother, father, e other, e o mudo, que aparece em palavras como three, thinkbathroom e math. Se você não pronunciar o TH sonoro corretamente, os nativos conseguem entender você. Esse não é um problema tão sério. Se você falar de book ao invés de the book, você será entendido. No entanto o som de TH mudo pode causar mais problemas de entendimento. Three e tree são duas coisas bem diferentes, por exemplo. Pronunciar o TH corretamente é questão de prática. Treinando bastante, você chega lá.

Como tudo na vida para você aprender a fazer corretamente é preciso se esforçar e querer melhorar.

Vejam os exemplos desses desenhos e continue praticando!

Até a próxima,

Carlos