Posts Tagged ‘tentar’

Dica 627 – O Segredo do Sucesso é o Fracasso

setembro 13, 2016

Um artigo na revista “Você S/A” que eu acabei de receber, intitulado A Importância do Fracasso, começa dizendo que “Para alcançar o sucesso é preciso, primeiro, aprender com o fracasso.” É uma afirmação importante, que muita gente não se dá conta. As pessoas morrem de medo de errar. Parece que errar é uma coisa horrível. Que é o fim do mundo. Mas não é. Fracassar é fundamental no aprendizado.

Fracassar, como diz o artigo da Você S/A, é crucial para o desenvolvimento. E o avanço só acontece se nós encararmos os erros como processos de aprendizagem.

Isso é verdade para qualquer coisa, mas vamos pensar aqui no aprendizado de línguas.

Pense em você mesmo quando aprendeu a sua língua nativa. Você não começou falando tudo certo. Você falava errado, as pessoas te corrigiam uma duas, três… muitas vezes, até você aprender a falar corretamente. Mas para você foi importante tentar, experimentar com a língua. Se você não se lembra de como foi o seu aprendizado, pois afinal era muito pequeno, observe uma criança pequena aprendendo a falar.

Para aprender inglês, você precisa passar pelo mesmo processo. Tentar, errar, se corrigir, errar novamente e assim por diante, até acertar.

Hoje eu estava dando aula para uma aluna particular e fiz um vídeo no celular onde ela falava algumas coisas. Acabando de filmar, assistimos ao video juntos, e eu apontei os seus erros. Aí gravamos mais uma vez e assistimos novamente. Ela mesma me disse: “Aqui eu errei novamente. Aqui eu acertei.” Perceber os erros, já é um caminho em direção ao acerto. Com certeza ela ainda vai errar outras vezes, mas ter consciência dos erros, já é um grande passo.

Quando você tenta conversar em inglês, vai acontecer de a pessoa com quem você está falando não entender você. Pode ser o seu colega na aula de inglês, ou pode ser uma pessoa com quem você está conversando na rua. Errar e perceber que a pessoa não entendeu, vai fazer você tentar falar de uma outra maneira, para se fazer entender. Você vai criando estratégias que vão ajudar a se comunicar melhor. Isso também é um aprendizado.

Num exercício escrito, quando você erra, você tem uma grande oportunidade de aprender mais. Vendo o que errou e pensando em como poderia corrigir aquilo, você acaba aprendendo bastante.

O importante sempre é a sua atitude em relação ao erro. Ter um fracasso, não significa que você é um fracasso. Você fracassou, no seu caminho para aprender. Se ficar só se lamentando e se auto-flagelando, não vai aprender nada. O fracasso mostra que você fez uma escolha errada. Pense agora na próxima escolha. Se ela for errada também, fracasse e tente novamente. Em algum momento você vai acertar.

Pense num cientista que realizou uma experiência e descobriu algo incrível. Ele teve um sucesso no final, mas antes disso ele teve centenas de fracassos. Se pensar bem, o número de fracassos dele foi muito maior do que o número de sucessos. Mas foram esses fracassos que o levaram ao sucesso! Entre uma tentativa e outra, o cientista pesquisou mais, estudou, se aprimorou e tentou de novo.

Você errou? Tente mais uma vez. Estude mais, pesquise mais, faça mais exercícios e tente de novo. Não se lamente por ter errado. Você terá novas chances de aprender.

Aceite os seus erros, pense sobre eles e não sofra. Todo mundo erra!  Lembre-se disso!

Siga em frente e vai aprender cada vez mais e melhor!

Até a próxima,

Carlos

 

Anúncios

Dica 606 – Meu desejo para o ano novo: que você fracasse!

dezembro 30, 2014

Se você quer chegar ao topo, o primeiro passo é aprender a falhar.”

Li essa frase numa matéria da revista Você S/A intitulada Fracasse Melhor. A matéria cita a jornalista americana Megan McArdle, colunista do site Bloomberg. Megan explica como errar pode levar ao sucesso.

Como eu já falei várias vezes aqui e nos meus livros, muita gente tem medo do fracasso, pois se sente um derrotado por ter errado. Eu vejo alunos que ao cometerem um erro no inglês ficam vermelhos, abaixam a cabeça de vergonha e querer sumir. No entanto, para alcançar o sucesso é necessário correr riscos e experimentar ideias. Isso vai fazer você errar, mas é muito positivo, pois depois de muitos erros, o acerto vai chegar.

Segundo Megan McArdle, que escreveu o livro The Up Side of Down, “o mais importante é reconhecer que erramos. Em vez de admitir que algo deu errado, as pessoas negam o fracasso a qualquer custo. Essa atitude faz com que a gente se sinta melhor, mas por pouco tempo. No longo prazo, isso transforma um erro que seria simples (se corrigido a tempo) em uma catástrofe.”

As pessoas consideradas audaciosas correm muito mais riscos e por isso erram mais. Porém acabam sendo muito melhores sucedidas. Se você errar não significa que você é um fracassado. Significa que voce errou, vai aprender com os seus erros e vai seguir em frente – como a maioria dos grandes nomes da história. E isso é muito positivo. Por isso, precisamos valorizar as pessoas que erram. Erre sem medo!

Na matéria da Você S/A Megan ainda diz que “você tem que se convencer que o fracasso é sempre uma possibilidade.” Esteja pronto para ele, assuma sua falha e dê a volta por cima. Como ela afirma, “os únicos que fracassam miseravelmente são os que ficam presos aos erros do passado e não enxergam as possibilidades futuras.”

Ninguém nasce falando língua nenhuma. Até para aprender a sua própria língua você falou muita coisa errada até aprender a falar direito. Hoje mesmo, aminha amiga Viviane Kirmeliene publicou no facebook que a sua filha Catarina disse que depois do número dezenove vinha o dezedez. Todo mundo que leu este post achou uma gracinha. Ninguém criticou a menina por ter errado. Ela simplesmente está experimentando com a língua e tentando descobrir como ela funciona. E o mesmo acontece quando você está aprendendo inglês.

Se você não está falhando muito, é porque não está arricando muito e como consequência, também não está aprendendo muito. Como diz a matéria da da Você S/A, o caminho que leva ao sucesso é o mesmo que leva ao fracasso. Não tenha medo dele.

É por isso que, neste final de ano, eu desejo que você erre bastante durante a sua vida. Não tenha medo de errar. Fale inglês mesmo que não tenha certeza. Experimente e brinque com a língua. Se você estuda em algum curso e for corrigido pelo seu professor, tente novamente, mesmo que erre muitas vezes, pois uma hora você chega lá.

Se estiver falando com alguém e esse alguém corrigir você, faça a mesma coisa. Não se deixe intimidar pelo erro. Tente descobrir o que errou, porque errou, e tente outra vez. Mesmo que leve um tempo, você vai aprender.

Continue sempre em frente no seu aprendizado de inglês. De fracasso em fracasso você chega ao sucesso. Não fuja do fracasso, pois ele é o seu degrau para a conseguir acertar.

Feliz Ano Novo e até a próxima,

Carlos

 

Dica 581 – Ano novo, atitude nova?

janeiro 15, 2014

Feliz ano novo!

E aí, o ano já começou para você? Tem gente que fala que o ano só começa depois do Carnaval, mas este ano com tantos eventos como a Copa do Mundo vai ter muita desculpa para parar o ano e tirar umas férias. Qual vai ser a sua atitude?

Nessa época do ano muita gente me procura para pedir aulas particulares e muitas pessoas enchem as escolas de inglês para se matricular num curso, pois é a época das novas decisões e do “esse ano eu vou aprender inglês”. Mas para muitas dessas pessoas nada muda. O que precisa mudar, é a sua atitude.

Lá na academia também, muita gente se matricula nas aulas de várias modalidades, pois dizem “esse ano vou entrar em forma”. E muda alguma coisa? Não para a maioria.

Aprender inglês, como qualquer outra coisa, requer esforço e dedicação. Não é preciso começar o ano para isso – é só começar e pronto! E temos que saber que vai haver momentos chatos, momentos difíceis, mas que tudo vai levar a um resultado bom e prazeroso. E que temos que tentar, tentar e tentar até conseguir

A minha aula de Body Combat teve duas semanas de férias desde o Natal e agora voltou com força total. Eu acho interessante observar alguns dos meus colegas, pois essa coisa da atitude serve para tudo na vida. Uma das sequências  que nós fazemos na aula consiste em dar 16 chutes com a  mesma perna, sem apoiar o pé no chão – ou seja, num pé só. Claro que é difícil no começo, principalmente por causa do equilíbrio. Mas como cada sequência da aula dura uns 4 meses, temos tempo de aprender até o Marco (nosso professor) começar a nova sequência. Eu venho tentando dar esses chutes desde o começo. Nas primeiras aulas, eu conseguia dar só uns dois e caia.Hoje eu já consigo uns 14 e só caio no final. Melhorei bastante, né? Uma colega minha, quando chega nessa parte vai até a parede e apoia a mão, para manter o equilíbrio. Qual o resultado? Passado vários meses, ela ainda se apoia na parede e se tiver que soltar não vai conseguir dar chute nenhum. Enquanto os outros foram tentando e conseguindo, ela não caiu nenhuma vez, mas também não aprendeu nada. Que lição você tira sobre a atitude dessa colega?

Aprender envolve correr riscos. Se você não se arriscar, não consegue aprender. É um processo de tentativa e erro. E o erro vai ajudar você a aprender mais.

Não importa se o ano é velho ou novo. O importa é você ter uma atitude nova! Vá em frente que aprender inglês dá certo!

Até mais,

Carlos

Dica 578 – Para aprender, você precisa se superar – o exemplo de Malaki Paul

novembro 24, 2013

Eu já disse muitas vezes, e ainda vou dizer muitas outras, que aprender é dar um salto no escuro. Estamos entrando num território desconhecido e é normal termos um pouco de medo. É normal errarmos. Aliás, é mais normal errarmos do que acertarmos.

Aprender é dar um pequeno passo para a frente a cada momento, e tentar sempre se superar, ou seja, melhorar um pouquinho que seja. Se a cada dia ficarmos um pouquinho melhor, estaremos sempre aprendendo um pouquinho mais.

Fracassos fazem parte deste processo, mas devemos considerar esses fracassos como experiências que nos levarão a acertar no futuro. Não podemos deixar o fracasso nos desanimar.

O vídeo abaixo foi postado por um amigo no facebook. Talvez você já o tenha visto, mas vale a pena ver de novo e refletir sobre o assunto. No programa Britain Got Talent, o menino Malaki Paul, de 9 anos, começa uma apresentação muito nervoso. Fica tão nervoso que começa a chorar e interrompe a música. Isso também é normal. É comum começamos algo e não conseguimos continuar. A diferença é que Malakai não desiste. Ele tenta mais uma vez. E vejam o que acontece:

Se o menino tivesse desistido, talvez passasse a vida toda pensando no que teria acontecido caso tivesse desistido. Mas, ao contrário, continuou e venceu. Não é um belo exemplo?

Aprender é assim também. É não desanimar com os erros, é seguir em frente e tentar se superar. Cada superação é um ganho, que vai ajudar você a ser melhor a cada dia. E na próxima vez que você errar ou fracassar, você pode se lembrar das outras coisas que você superou. Isso vai dar mais motivação ainda para superar as próximas.

Por isso, siga sempre em frente no seu aprendizado de inglês. Lembre-se que o seu objetivo não é ser perfeito, mas melhorar um pouco de cada vez. E seguir em frente.

Vejam a apresentação seguinte de Malaki. Olhem como ele já está muito mais seguro e confiante:

Você também pode fazer o mesmo. Que esse exemplo inspire você, não só para aprender inglês, mas tudo o que quiser.

Até a próxima,

Carlos

Dica 565 – É bom ter problemas – o exemplo do Américo

julho 31, 2013

O meu aluno Américo acaba de voltar de umas férias com a família nos Estados Unidos. Na nossa primeira aula depois da viagem ele me contou tudo o que aconteceu por lá. Uma das coisas que me impressionou foi a história que ele me contou de como algumas de suas malas se perderam e ele teve alguns problemas para recuperá-las até que deu tudo certo.

O que me mais me impressionou não foi o fato de ele ter tido o problema, mas sim o que ele me disse a respeito. Ele me disse: “Eu fiquei chateado, mas senti que foi uma oportunidade de melhorar o meu inglês”.

Não é o máximo?

Como eu já disse e repeti muitas vezes, tudo é uma questão de atitude. E essa é uma atitude super positiva. São os nossos problemas que nos fazem ir para a frente. Tentar vencer as dificuldades nos faz mais fortes, e no caso do aprendizado, nos faz aprender mais. E foi assim que o Américo encarou as suas dificuldades – e as venceu.

Muitas vezes nós fugimos do problemas, e procuramos a segurança. Queremos fazer o que já sabemos e não tentar nada de diferente, para não corrermos perigo. Mas quem não tenta nada novo, não aprende nada novo. Por isso é importante tentar o novo, e criar problemas para nós mesmos tentarmos resolver.

Quando você tiver algum problema, não fique triste. Encare como um desafio e saiba que sempre você vai tirar algo positivo dele.

Até a próxima,

Carlos

Dica 562 – Correr riscos é bom!

julho 26, 2013

Em qualquer coisa que estivermos tentando aprender, é sempre importante arriscarmos. Tentar coisas novas e diferentes é o que nos leva para a frente. Muitas vezes nós não fazemos isso por medo de errar. No entanto, ter medo de errar nos faz ficar parados sempre no mesmo lugar, fazendo as coisas do mesmo jeito.

Vejam essa cena do excelente seriado “The Fosters”, do episódio que passou esta semana na TV americana:

Tocar piano, falar inglês ou andar na corda bamba têm alguma coisa em comum: é importante tentar, experimentar, arriscar.

Lembre-se de que se você nunca tivesse arriscado ficar em pé e dado seus primeiros passos, nunca teria caminhado. É claro que você levou vários tombos até aprender a coordenar as pernas e a se equilibrar, mas foi isso que fez com que você aprendesse.

Fale inglês. Tente conversar, mesmo que erre. Arrisque, e vai aprender muito mais!

Até a próxima,

Carlos

Dica 550 – Como perder o medo de falar inglês

maio 27, 2013

Compartilho com você a entrevista que dei para o site ig.com.br sobre como perder o medo de falar inglês. A matéria foi feita por Bianca Castanho e ficou muito boa:

http://delas.ig.com.br/comportamento/2013-05-26/como-perder-o-medo-de-falar-ingles.html

Muitas das coisas que falei na entrevista eu já escrevi aqui e também no livro “101 Dicas Para Você Aprender Inglês Com Sucesso”, mas é sempre bom dar uma relembrada.

Em relação ao medo de errar, vale a pena lembrar que falhar faz parte de aprender. Veja o vídeo abaixo, que mostra pessoas que falharam ou que foram consideradas incapazes. Veja o que aconteceu depois:

É uma boa inspiração para você também. Não tenha medo de errar ou de fracassar. Fracassar faz parte do processo de aprender!

Até a próxima,

Carlos

Dica 533 – Não faça só o que sabe – o exemplo de Pablo Picasso

fevereiro 2, 2013

Outro dia eu li numa revista a seguinte frase, dita por Pablo Picasso:

“Eu estou sempre fazendo aquilo que não sou capaz, numa tentativa de aprender como fazê-lo”.

Essa frase é um grande exemplo do espírito do aprendizado. Aprender é isso mesmo: tentar fazer o que você não sabe. É só assim que você vai aprender. Muita gente não aprende pois não se arrisca a fazer aquilo que não sabe, porque tem medo de errar, ou porque acha aquilo difícil.

Se você só fizer aquilo que já sabe, nunca vai aprender nada novo. Se você não tentar fazer algo diferente e que você não sabe fazer, nunca vai aprender. Isso é verdade para qualquer coisa, e por isso também se aplica ao seu aprendizado de inglês.

Muita gente diz que não fala inglês porque não sabe. Muita gente diz que não lê em inglês pois é difícil. Muita gente diz  que não assiste a filmes sem legenda pois não entende. Lembre-se de que você só vai aprender a falar se tentar falar. Você vai errar muito no início, mas é a tentativa que vai fazer você aprender a falar. Quando você falar com alguém e a pessoa não entender o que você disse, você vai ser obrigado a se expressar de outra maneira, e vai acabar descobrindo como falar melhor.

Quando você assistir a filmes em inglês sem legenda, não vai entender muito no início, mas aos poucos vai começar a entender mais. No entanto, esse processo só dá resultado se você passsar pelas dificuldades iniciais.

Mesmo em se tratando do português, eu conheço crianças que só assistem a filmes dublados, pois dizem que é difícil ler a legenda. Claro que no começo é difícil, mas se você não tentar aprender, nunca vai aprender. Quando meus filhos aprenderam a ler, comecei a levá-los a filmes legendados e eles aprenderam a ler as legendas. Hoje eles odeiam ver filmes dublados, pois sabem que a dublagem estraga a interpretação dos atores no filme.

Quando você aprendeu a ler em português você não entendia todas as palavras e lia mais devagar. Com o tempo você foi lendo melhor. Ler em inglês também funciona assim. Você tem mais dificuldade no início, mas lendo bastante vai ler cada vez melhor. Você começa com livros mais simples, com vocabulário mais simples também, mas depois começa a ler livros maiores e mais difíceis. Se você ficar só nos fáceis, nunca vai conseguir ler livros mais difíceis.

Para aprender você precisa errar. E é justamente o medo de errar que bloqueia a maioria das pessoas que está querendo aprender. Por isso, lembre-se sempre dessa frase de Pablo Picasso e tenha em mente que não saber algo ou não capaz de fazer alguma coisa é o início de qualquer aprendizado. Se você já sabe uma coisa, não há o que aprender. É tentar fazer o que você não sabe que vai fazer você, um dia, aprender a fazê-lo.

Até a próxima,

Carlos

Dica 531 – Tente sempre e você vai aprender

janeiro 16, 2013

Um vídeo que está circulando pelo facebook me fez pensar novamente sobre o processo de aprender. E embora eu já tenha falado sobre isso muitas vezes, nunca é demais repetir. Se você não viu ainda, veja esse vídeo de uma cachorrinha tentando aprender a descer as escadas:

Aprender é igual para qualquer pessoa ou qualquer animal. É um processo de tentativa e erro. Se você não tentar, não vai conseguir. A cachorrinha tem medo, tenta, acha que não vai dar, quase desiste e volta a tentar. O cachorro mais velho vai até ela e mostra como ela deve fazer. Ela tenta copiar, mas tem dificuldade. Ele mostra mais uma vez. Diz a ela, da sua maneira, que ela deve tentar e que ele estará lá para ajudá-la. Até que ela vai e finalmente consegue.

O processo é igual para todo mundo. E eu não estou falando só de aprender inglês. Aprender sempre significa dar um salto no escuro. Você vai entrar num território desconhecido. Dá um pouco de medo, pois você está saindo da sua zona de conforto. Mas se você não fizer isso, não vai aprender nada. Esse medo é natural, mas você precisa enfrentá-lo. Com o tempo, vai se sentindo mais confortável, menos inseguro, até aprender.

Na próxima vez que aquela cachorrinha for descer a escada – pena que não temos o próximo vídeo – não vai ser totalmente fácil ainda. Ela ainda vai ter um pouquinho de medo, um pouquinho de dificuldade, mas vai ser um pouco menos difícil. Até que, depois de muitas tentativas, ela vai conseguir descer a escada sem medo e com tranquilidade.

E o cachorro mais velho, Simon? Qual foi o papel dele nesse processo? Ele foi o professor. Mostrou várias vezes e esperou que a “aluna” tentasse. É esse o papel do professor. O professor não ensina. Ele mostra como é, e o aluno aprende por conta própria. Na aula de inglês também é assim. O professor mostra como é a língua. Você tenta. Você erra. O professor mostra mais uma vez. Quando ele te corrige, ele não está criticando você. Ele está apenas mostrando como é a maneira correta de falar. E ele dá a você oportunidades para praticar. Mas quem tem que tentar é você. Até que você aprenda.

Acabei de me dar conta que esse cachorro sou eu!

E qual o papel da dona dos cachorros? Também é o papel do professor. Ela vai encorajando a aluna. Ela diz: “Vamos lá, você consegue!” “Muito bem! Está no caminho certo!” “Tente mais uma vez!” Mas o trabalho de tentar é da aluna.

Como aluno, você precisa ter sempre isso em mente. Para aprender você precisa tentar. Tentar não significa acertar de primeira, nem de segunda, nem de décima. Você vai melhorando um pouquinho de cada vez até aprender. E você pode falar para você mesmo: “Muito bem, estou no caminho certo!” “Estou começando a aprender.” Não adianta você pensar no que não consegue fazer ainda. Você precisa pensar que está cada vez melhor.

Essa semana eu estava na escola onde trabalho dando testes de classificação para alunos novos. Eu sempre digo a eles que o teste não tem aprovação ou reprovação. Nós queremos justamente saber o que o aluno já sabe e o que ele ainda não sabe, para o colocarmos num curso onde ele já saiba o que está para trás e não saiba o que vem pela frente. Uma menina de 8 anos que foi fazer o teste foi classificada num determinado nível. Eu expliquei para ela que havia coisas que ela sabia e coisas que ela ainda não sabia. Ela então me disse: “Eu não sou boa de inglês.” Eu disse a ela: “Você é boa nas coisas que você já sabe e não é boa nas que você não sabe. Quando você começar o curso você não será boa naquilo. No final do semestre você será boa. E aí você vai para um curso mais adiantado, onde você não será boa, até que no final do semestre você ficará boa.” Como eu já escrevi numa dica anterior, o objetivo não é você ser bom no começo – é ser bom no fim.

E para aprender, você precisa tentar fazer as coisas em que você ainda não é bom. Até você aprender, e ficar melhor. Por isso tente sempre! Esforce-se, lute contra as dificuldades, tente mais e você vai conseguir. Se parar por que causou de tentar, vai ficar no mesmo lugar e não vai aprender.

Esse vídeo me lembrou de um vídeo do programa Sesame Street que eu vi há muitos anos. Fui procurar e é claro que achei no youtube (E viva o yotube!). A qualidade não é muito boa, mas a mensagem é clara. Tentar é o segredo! Aqui está ele:

Trying and Trying Again:

Tente sempre, É isso que vai levar você para a frente!

Até a próxima,

Carlos

Dica 478 – Para aprender inglês, fale inglês

junho 25, 2012

No dia 24 de junho de 2012 a Folha de São Paulo publicou o seu tradicional caderno Idiomas, e desta vez o assunto mais falado foi sobre famílias que viajam para o exterior para passear e aprender inglês ao mesmo tempo. Várias das matérias do caderno falam sobre famílias que viajaram e ficaram na casa de um professor, famílias que fizeram um curso, ou famílias que iam passear com um professor que só falava inglês com elas.

Uma coisa é comum a todas as histórias: todos disseram que estando num país estrangeiro e com um professor, você é obrigado a falar só em inglês, e por isso aprende de verdade.

Eu adoro viajar, e acho que viajar é maravilhoso, mas não acho que é só assim que se aprende inglês. Eu mesmo só saí do Brasil pela primeira vez quando já era professor de inglês. Aprendi inglês aqui, e numa época em que não havia tantos recursos como hoje, como Internet, TV a cabo, DVDs, etc.

No entanto, falar só inglês ajuda mesmo aprender. E se isso é verdade, por que você não faz isso aqui mesmo?

Eu tenho vários alunos que reclamam quando eu não falo português ou quando não quero traduzir alguma coisa para eles. Eles não se dão conta de que eu faço isso para o bem deles mesmos. Se eles tiverem que se esforçar para falar inglês, vão aprender muito mais.

Fale inglês na sala de aula. Esqueça o português. Faça um esforço para usar só o inglês. Se você não sabe como falar, dê um jeito: explique de outra maneira, faça gestos ou desenhe no ar. Se você falar algo errado, o seu professor vai corrigi-lo e você vai aprender a maneira correta de falar. Aprender é uma questão de tentativa, erro e outra tentativa.

Viajar é muito bom, e na minha opinião o dinheiro melhor gasto é com viagens. Viaje, pois é uma experiência incrível.

Mas não é que você “precisa” viajar para aprender. Dá para aprender aqui, sim. Tudo depende da sua atitude!

Até a próxima,

Carlos