Posts Tagged ‘treinar’

Dica 627 – O Segredo do Sucesso é o Fracasso

setembro 13, 2016

Um artigo na revista “Você S/A” que eu acabei de receber, intitulado A Importância do Fracasso, começa dizendo que “Para alcançar o sucesso é preciso, primeiro, aprender com o fracasso.” É uma afirmação importante, que muita gente não se dá conta. As pessoas morrem de medo de errar. Parece que errar é uma coisa horrível. Que é o fim do mundo. Mas não é. Fracassar é fundamental no aprendizado.

Fracassar, como diz o artigo da Você S/A, é crucial para o desenvolvimento. E o avanço só acontece se nós encararmos os erros como processos de aprendizagem.

Isso é verdade para qualquer coisa, mas vamos pensar aqui no aprendizado de línguas.

Pense em você mesmo quando aprendeu a sua língua nativa. Você não começou falando tudo certo. Você falava errado, as pessoas te corrigiam uma duas, três… muitas vezes, até você aprender a falar corretamente. Mas para você foi importante tentar, experimentar com a língua. Se você não se lembra de como foi o seu aprendizado, pois afinal era muito pequeno, observe uma criança pequena aprendendo a falar.

Para aprender inglês, você precisa passar pelo mesmo processo. Tentar, errar, se corrigir, errar novamente e assim por diante, até acertar.

Hoje eu estava dando aula para uma aluna particular e fiz um vídeo no celular onde ela falava algumas coisas. Acabando de filmar, assistimos ao video juntos, e eu apontei os seus erros. Aí gravamos mais uma vez e assistimos novamente. Ela mesma me disse: “Aqui eu errei novamente. Aqui eu acertei.” Perceber os erros, já é um caminho em direção ao acerto. Com certeza ela ainda vai errar outras vezes, mas ter consciência dos erros, já é um grande passo.

Quando você tenta conversar em inglês, vai acontecer de a pessoa com quem você está falando não entender você. Pode ser o seu colega na aula de inglês, ou pode ser uma pessoa com quem você está conversando na rua. Errar e perceber que a pessoa não entendeu, vai fazer você tentar falar de uma outra maneira, para se fazer entender. Você vai criando estratégias que vão ajudar a se comunicar melhor. Isso também é um aprendizado.

Num exercício escrito, quando você erra, você tem uma grande oportunidade de aprender mais. Vendo o que errou e pensando em como poderia corrigir aquilo, você acaba aprendendo bastante.

O importante sempre é a sua atitude em relação ao erro. Ter um fracasso, não significa que você é um fracasso. Você fracassou, no seu caminho para aprender. Se ficar só se lamentando e se auto-flagelando, não vai aprender nada. O fracasso mostra que você fez uma escolha errada. Pense agora na próxima escolha. Se ela for errada também, fracasse e tente novamente. Em algum momento você vai acertar.

Pense num cientista que realizou uma experiência e descobriu algo incrível. Ele teve um sucesso no final, mas antes disso ele teve centenas de fracassos. Se pensar bem, o número de fracassos dele foi muito maior do que o número de sucessos. Mas foram esses fracassos que o levaram ao sucesso! Entre uma tentativa e outra, o cientista pesquisou mais, estudou, se aprimorou e tentou de novo.

Você errou? Tente mais uma vez. Estude mais, pesquise mais, faça mais exercícios e tente de novo. Não se lamente por ter errado. Você terá novas chances de aprender.

Aceite os seus erros, pense sobre eles e não sofra. Todo mundo erra!  Lembre-se disso!

Siga em frente e vai aprender cada vez mais e melhor!

Até a próxima,

Carlos

 

Anúncios

Dica 590 – A Hora da Mentira e a Hora da Verdade

junho 4, 2014

Quase tudo o que acontece numa aula de inglês é de mentira.  É como um ensaio para uma peça de teatro. Você ensaia muito para o dia da estreia, quando vai fazer a peça de verdade. Mas se você não se dedicar nos ensaios e fizer como se fosse de verdade, na hora da verdade não vai sair bom.

A maioria das situações numa aula de inglês é de mentira. O professor manda você levantar e perguntar para três pessoas qual o dia do aniversário delas, mas você não tem o menor interesse em saber que dia é o aniversário daquelas pessoas. Tanto que, quando a aula acabar, você provavelmente nem vai se lembrar.

O professor manda vocês conversarem sobre globalização, e isso é um assunto que não te interessa nem um pouco. Você preferia conversar sobre qualquer outra coisa, mas tem que falar sobre aquilo, pois é parte da aula.

Você assiste a um vídeo que não te interessa e tem que discutir o que entendeu. Na sua vida real, você nunca iria assistir a um vídeo desses, mas faz parte da aula.

Você manda uma criança de 8 anos sair pela sala imaginando que está na rua perguntando “Onde fica o supermercado?” como se uma criança dessa idade fosse sair na rua sozinha procurando.

Calma aí, não estou dizendo que a aula de inglês não é interessante! É sim! A aula é divertida e tem até muita gente que se interessa pelos assuntos discutidos nela. O que eu estou dizendo é que as coisas são falsas, pois é uma situação falsa. Você está fazendo de conta que está falando sobre aqueles assuntos. No entanto, são essas coisas falsas que vão preparar você para a hora da verdade, quando você vai realmente querer usar o inglês.

N0 dia em que você estiver na sua casa e quiser assistir a um filme em inglês, você vai assistir a um filme que você mesmo escolheu. E vai entender um pouco de inglês graças aqueles momentos que teve na sala de aula assistindo ao que a escola achava que você devia assistir.

Quando você estiver conversando com alguém em inglês, você vai falar sobre o assunto que quiser, mas estará instrumentalizado pela prática que teve na sala de aula. A hora da mentira prepara você para a hora da verdade.

Agora pense bem nos momentos que você tem na sala de aula que poderiam ser de verdade, mas que você não usa. São aqueles momentos em que você perde a oportunidade de falar inglês de verdade. Por exemplo, quando você precisa de uma borracha emprestada e cochicha para o colega do lado em português. Pronto, você acabou de desperdiçar um ótimo momento para usar o seu inglês numa situação de verdade.

E no final da aula, quando todos os alunos já estão saindo, e você vai perguntar alguma coisa ao professor, e como a aula “já acabou” fala em português? Essa seria uma ótima hora da verdade, pois você está realmente perguntando uma coisa que quer saber e o professor vai dar uma resposta que interessa a você. Por que não se comunicar em inglês? Afinal, você está estudando inglês para se comunicar na hora da verdade. E a hora que você faz uma pergunta de verdade e ouve uma resposta de verdade, você prefere falar em português! Que desperdício! Passou a aula falando sobre assuntos que o professor mandou você falar, e quando tinha que falar mesmo, não usou o inglês!

E quando você chega na escola e fica esperando a aula começar e o professor chegar? Por que não aproveita esses momentos para conversar em inglês com os outros colegas? É um bom momento para uma conversa de verdade.

São esses momentos “de verdade” que dão a você a chance de ver se o inglês que você está aprendendo está servindo para alguma coisa! Você consegue se comunicar em inglês, ou na hora de se comunicar precisa  usar o português?

Eu me lembro da minha primeira viagem para os Estados Unidos, em 1990. Eu já era professor de inglês, já falava e ensinava inglês, mas nunca tinha saído do Brasil. Você sabe que em algumas aulas a gente ensina os alunos a pedirem informações sobre como chegar a um determinado lugar. Pois bem, eu e um grupo de amigos que estavam fazendo um curso de verão na Universidade da Flórida alugamos um carro para passear no feriado de 4 de julho. Eu dirigi uma boa parte da viagem. Num determinado momento, nós nos perdemos. Eu resolvi sair do carro e testar se a pergunta que eu ensinava funcionava mesmo. Encontrei um homem parado e lancei um “Can you tell me how to get to ___?” Quando o homem respondeu eu fiquei tão feliz! Vi que aquela expressão que eu já tinha ensinado tantas vezes funcionava de verdade. E fiquei comemorando! “It works! It works!”

Lembre-se de que tudo o que a gente quer na aula de inglês é conseguir usar o nosso inglês. Use-o e ele só vai melhorar!

Até mais,

Carlos

Dica 586 – Você não entende as letras das músicas? Então você é normal!

março 27, 2014

Todo mundo que me escreve ou fala comigo reclama que não consegue entender as letras das músicas. Se você tem este problema, a boa notícia é que você é absolutamente normal!

É difícil entender todas as palavras de um música. E isso até para pessoas que são fluentes em inglês. Até os nativos não conseguem entender todas as palavras de uma música. Eu já tive essa experiência quando não conseguia entender um trecho de uma música e perguntei a vários nativos e nenhum deles conseguiu entender.

Vejam esse vídeo que o meu amigo Mauro Ajaj Sayeg compartilhou no facebook hoje. É um trecho do “The Tonight Show”, que agora é apresentado por Jimmy Fallon. Nesse trecho, eles pedem quem as pessoas tuítem trechos de músicas que cantam errado. E dão risada dos seus próprios erros.

Como você pode ver, nem os nativos entendem tudo e cantam errado. Só que quando eles erram, eles não ficam se martirizando por não saber inglês. Eles sabem inglês, mas não entenderam uma parte da música. Se para eles não há problema nisso, por que deveria haver para você? Não entender o que é cantado não significa que o seu inglês é ruim.

Pense nas músicas em português que você canta ou já cantou errado. Pense em pessoas que você conhece que cantam músicas erradas. Nós somos nativos em português e também não entendemos tudo. (Eu já escrevi outras dicas falando nisso. Dê uma olhada no blog.)

Eu sempre aconselho que quando estamos aprendendo a cantar uma música nova devemos ler a letra junto, pois assim garantimos que vamos aprender a cantar corretamente. Muitas vezes nós cantamos e achamos que está certo, e nem nos damos conta de que estamos cantando errado. E gravando a letra errada na nossa cabeça, vamos cantar errado para sempre, pois a palavra não sai mais da nossa memória.

Cante em inglês, pois é divertido e ajuda a melhorar o seu inglês. E relaxe se não entender! É normal e não há problema nenhum

Até mais,

Carlos

Dica 566 – Vamos praticar a pronúncia do TH

agosto 3, 2013

Quem me conhece, e quem me acompanha aqui no blog e nos meus livros sabe da importância que dou a falar inglês com uma pronúncia boa. E ter uma boa pronúncia é só uma questão de prática. Quanto mais você praticar, melhor a sua pronúncia vai ficar.

Uma das maiores dificuldades para os brasileiros que querem falar inglês é pronunciar o som the TH, pois este som não existe em português. Na realidade, este som é produzido em português, sim, pelas pessoas que têm a chamada “língua presa,” como o ex-presidente Lula. Em português isso é considerado um defeito e talvez até por isso, muitas pessoas resistem muito em tentar falar dessa maneira. Muitos alunos me dizem que “é ridículo” colocar a língua para fora. No entanto, em inglês essa é a maneira correta de falar, e os nativos em inglês fazem isso normalmente.

Por este motivo, eu gosto de mostrar cenas de nativos falando inglês para tentar convencer as pessoas de que é assim mesmo. Vejam essa cena do seriado “Dallas” que eu editei e montei nesse pequeno vídeo:

Como você pode ver, não é vergonha nenhuma falar assim – pelo contrário! E como eu sempre digo, ter uma boa pronúncia é só uma questão de você trabalhar os seus músculos – a língua nesse caso – e colocá-los na posição correta. No começo pode parecer forçado, mas com o tempo, vai ficando natural e você vai fazer isso sem pensar.

Tente imitar o Lula falando “É assim mesmo que se fala!” e você vai colocar a língua na posição correta. Em português isso pode soar feio, mas vai ajudar a perceber a maneira correta de pronunciar o inglês.

Continue praticando. Para ter uma pronúncia boa você precisa querer!

Até mais,

Carlos

Dica 545 – Cante “Raise Your Hand”

abril 11, 2013

Eu sou fã do programa Sesame Street, um programa educacional infantil da TV americana, no ar há mais de 40 anos. O programa é voltado a crianças em idade pré-escolar e ensina sobre letras e números além de conceitos importantes sobre as emoções, os relacionamentos, ética e boas maneiras.

Para quem está estudando inglês, o programa é ótimo, e mesmo que não sejamos crianças, podemos nos divertir e aprender muito. Por isso eu sempre mostro cenas do programa aos meus alunos. Sesame Street tem também uma quantidade enorme de músicas muito boas para se cantar e aprender inglês. As músicas são modernas e não soam como as musiquinhas infantis tradicionais. São boas para qualquer idade.

Entre elas, aqui está a música Raise Your Hand, que ensina de maneira alegre e divertida como se comportar numa sala de aula. Quando você quiser falar, fazer uma pergunta, ou até pedir para ir ao banheiro, levante a mão e espere o professor chamá-lo – não interrompa a aula. Esse é um hábito muito feio de muitos alunos brasileiros – não só crianças!

Cante e divirta-se:

Só de ouvir a música e cantar junto, você já estará praticando bastante o seu inglês e aprendendo novas expressões e vocabulário. Cantar é uma ótima maneira de treinar e aprender inglês.

Há muito material do Sesame Street online. Eu já publiquei outras coisas anteriormente, mas procurando você consegue encontrar muito mais. Dê uma olhada, divirta-se a aprenda sempre mais!

Até a próxima,

Carlos

Dica 539 – Happy Easter!

março 31, 2013

Comemorando a Páscoa, aí vai um divertido filme do Yogi Bear (Zé Colméia), que encontrei no youtube dividido em cinco partes. Divirta-se e pratique o seu inglês:

Yogi, the Easter Bear – part 1

Yogi, the Easter Bear – part 2

Yogi, the Easter Bear – part 3

Yogi, the Easter Bear – part 4

Yogi, the Easter Bear – part 5

Aproveite as oportunidades para praticar o seu inglês. Há muita coisa disponível por aí!

Até a próxima, e Happy Easter, everyone!

Carlos

Dica 530 – Assista à entrega do Globo de Ouro em Inglês

janeiro 12, 2013

Amanhã, dia 13 de janeiro, às 23 horas, a TNT vai transmitir a cerimônia de entrega do Globo de Ouro. Se eles oferecerem a versão original sem a tradução simultânea será uma oportunidade divertida de praticar o seu inglês.

A cerimônia do Golden Globe é bem mais informal do que a do Oscar. Além disso ela premia os melhores do cinema e da televisão. Para quem curte assistir filmes e seriados de TV, é uma boa dica de o que assistir. Já houve filmes e programas que eu só assisti depois de tê-los visto indicados em cerimônias de premiação. A curiosidade me levou a ver e acabei gostando.

Tem gente que gosta de ver só os vencedores dos prêmios. Outros gostam de ver todos os indicados. Você pode fazer o que quiser, mas fica aí a sugestão de quais foram considerados os 5 melhores de cada categoria. Você pode até discordar e considerar que um programa ou filme melhor ficou de fora. Que tal se reunir com alguns amigos e discutir o assunto – em inglês é claro?

No site do Golden Globe você encontra muitas informações e a história deste prêmio:

http://www.goldenglobes.org/

E aqui está a lista dos indicados deste ano:

http://www.goldenglobes.org/2012/12/nominations-2013/

O vídeo abaixo mostra o anúncio dos indicados. Como eu já falei na dica anterior, é legal para aprendermos a pronunciar os nomes dos filmes e dos atores:

A premiação começa às 23 horas de amanhã, e a partir das 22 horas você já pode assistir à chegada dos atores no tapete vermelho. É divertido também, e dá para você revisar todo o vocabulário de roupas quandos eles descrevem os vestidos das atrizes que estão chegando.

Boa diversão!

Até mais,

Carlos

Dica 501 – Aprenda os superlativos cantando

setembro 23, 2012

Para você que, como eu, gosta de aprender e praticar inglês cantando, aqui vai mais uma ajuda. Eu montei esse vídeo com trechos de dez músicas onde aparecem superlativos. Há vários tipos de músicas diferentes, de vários estilos musicais, ou seja, há músicas para todos os gostos.

Assista ao vídeo e cante junto:

Cantar ajuda a aprender e praticar inglês. Cante a mesma música muitas e muitas vezes. As frases vão ficando gravadas na sua memória e acabam vindo à tona quando você precisa falar.

Nessa seleção coloquei apenas os trechos das músicas onde aparecem os superlativos. Se você tiver interesse, pode procurar as músicas inteiras e cantá-las. Ou pode procurar outras músicas com superlativos. Se tiver mais alguma sugestão, mande pra mim. Eu agradeço.

Solte a voz e melhore o seu inglês!

Até a próxima,

Carlos

Dica 500 – Assista ao Emmy Awards no dia 23 de setembro

setembro 22, 2012

Amanhã, dia 23 de setembro de 2012, domingo, acontece nos Estados Unidos a entrega do Emmy Awards 2012 aos melhores da televisão. A premiação será transmitida ao vivo pelo Warner Channel. A partir das 20 horas será transmitida a chegada dos convidados pelo tapete vermelho, e a partir das 21 horas começa o show, que neste ano será apresentado por Jimmy Kimmel.

O Emmy Awards (em sua 64a edição) é mais uma excelente oportunidade para você conferir os melhores programas da televisão americana, e também para você treinar o seu inglês. Com a opção de assistir ao programa no som original, você pode acompanhar as entrevistas, as piadas e os discursos de agradecimento sem ouvir a horrível tradução simultânea.

A chegada dos astros no tapete vermelha é divertida. Você ouve coisas engraçadas e você vê os apresentadores descrevendo as roupas das estrelas – uma ótima oportunidade de praticar o vocabulário relativo a roupas em inglês.

Eu, que sou um grande fã dos seriados americanos, adoro assistir ao show e torcer pelos meus atores e programas favoritos. E muitas vezes ouço falar de um show que eu não conhecia e a partir daí resolvo assistir – e às vezes acabo gostando.

Aqui está a lista dos indicados aos principais prêmios deste ano:

Melhor Atriz em Série Cômica:
Zooey Deschanel – New Girl
Lena Dunham – Girls
Edie Falco – Nurse Jackie
Amy Poehler – Parks and Recreation
Tina Fey – 30 Rock
Julia Louis-Dreyfuss – Veep
Melissa McCarthy – Mike & Molly

Melhor Ator em Série Cômica:
Larry David – Curb Your Enthusiasm
Jon Cryer – Two and a Half Men
Louis C.K. – Louie
Jim Parsons – The Big Bang Theory
Don Cheadle – House of Lies
Alec Baldwin – 30 Rock

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Cômica:
Maylim Bialik – The Big Bang Theory
Merritt Wever – Nurse Jackie
Julie Bowen – Modern Family
Kristen Wigg – Saturday Night Live
Sofia Vergara – Modern Family
Kathryn Joosten – Desperate Housewives

Melhor Ator Coadjuvante em Série Cômica:
Ed O’Neil – Modern Family
Jesse Tyler Ferguson – Modern Family
Ty Burrell – Modern Family
Eric Stonestreet – Modern Family
Bill Hader – Saturday Night Live
Max Greenfield – New Girl

Melhor Série Cômica:
“Curb Your Enthusiasm”
“Girls”
“30 Rock”
“Veep”
“Modern Family”
“The Big Bang Theory”

Melhor Atriz em Série Dramática:
Julianna Margulies – The Good Wife
Michelle Dockery – Downton Abbey
Elizabeth Moss – Mad Men
Kathy Bates – Harry’s Law
Claire Danes – Homeland
Glenn Close – Damages

Melhor Ator em Série Dramática:
Steve Buscemi – Boardwalk Empire
Michael C. Hall – Dexter
Bryan Cranston – Breakign Bad
Hugh Bonneville – Dowton Abbey
Jon Hamm – Mad Men
Damian Lewis – Homeland

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática:
Archie Panjabi – The Good Wife
Anna Gunn – Breaking Bad
Maggie Smith – Downton Abbey
Joanna Froggatt – Dowton Abbey
Christina Hendricks – Mad Men
Christine Baranski – The Good Wife

Melhor Ator Coadjuvante em Série Dramática:
Aaron Paul – Breaking Bad
Giancarlo Esposito – Breaking Bad
Brendan Coyle – Downton Abbey
Jim Carter – Downton Abbey
Jared Harris – Mad Men
Peter Dinklage – Game of Thrones

Melhor Série Dramática:
“Boardwalk Empire”
“Breaking Bad”
“Downton Abbey”
“Mad Men”
“Game of Thrones”
“Homeland”

Melhor Atriz Convidada em Série Cômica:
Dot-Marie Jones – Glee
Maya Rudolph – Saturday Night Live
Melissa McCarthy – Saturday Night Live
Elizabeth Banks – 30 Rock
Margaret Cho – 30 Rock
Kathy Bates – Two and a Half Men

Melhor Ator Convidado em Série Cômica:
Michael J. Fox – Curb Your Enthusiasm
Greg Kinnear – Modern Family
Bobby Cannavale – Nurse Jackie
Jimmy Fallon – Saturday Night Live
Will Arnett – 30 Rock
Jon Hamm – 30 Rock

Melhor Atriz Convidada em Série Dramática:
Martha Plimpton – The Good Wife
Loretta Devine – Grey’s Anatomy
Jean Smart – Harry’s Law
Julia Ormond – Mad Men
Joan Cusack – Shameless
Uma Thurman – Smash

Melhor Ator Convidado em Série Dramática:
Mark Margolis – Breaking Bad
Dylan Baker – The Good Wife
Michael J. Fox – The Good Wife
Jeremy Davies – Justified
Ben Feldman – Mad Men
Jason Ritter – Parenthood

Melhor Programa de Variedades, Comédia ou Musical:
“The Colbert Report”
“Real Time With Bill Maher”
“Saturday Night Live”
“Jimmy Kimmel Live”
“Late Night With Jimmy Fallon”

Melhor Reality Show de Competição:
“So You Think You Can Dance”
“The Amazing Race”
“Project Runway”
“The Voice”
“Dancing With the Stars”
“Top Chef”

Melhor Apresentador de Reality Show:
Betty White – Betty White’s Off Their Rockers
Cat Deeley – So You Think You Can Dance
Phil Keoghan – The Amazing Race
Tom Bergeron – Dancing With the Stars
Ryan Seacrest – American Idol

Melhor Minissérie ou Filme Para TV:
“Game Change”
“American Horror Story”
“Hemingway & Gellhorn”
“Sherlock”
“Luther”
“Hatfields & McCoys”

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme Para TV:
Julianne Moore – Game Change
Connie Britton – American Horror Story
Nicole Kidman – Hemingway & Gellhorn
Emma Thompson – The Song Of Lunch
Ashley Judd – Missing

Melhor Ator em Minissérie ou Filme Para TV:
Woody Harrelson – Game Change
Clive Owen – Hemingway & Gellhorn
Benedict Cumberbatch – Sherlock
Idris Elba – Luther
Kevin Costner – Hatfields & McCoys

Melhor Atriz Coadjuvante em Minissérie ou Filme Para TV:
Sarah Paulson – Game Change
Frances Conroy – American Horror Story
Jessica Lange – American Horror Story
Judy Davis – Page Eight
Mare Winningham – Hatfields & McCoys

Melhor Ator Coadjuvante em Minissérie ou Filme Para TV:
Ed Harris – Game Change
Denis O’Hare – American Horror Story
David Strathairn – Hemingway & Gellhorn
Martin Freeman – Sherlock
Tom Berenger – Hatfields & McCoys

Melhor Direção Série Cômica:
Robert B. Weide – Curb Your Enthusiasm
Lena Dunham – Girls
Louis C.K. – Louie
Jason Winer – Modern Family
Steven Levitan – Modern Family
Jake Kasdan – New Girl

Melhor Direção em Série Dramática:
Tim Van Patten – Boardwalk Empire
Vince Gilligan – Breaking Bad
Brian Percival – Downton Abbey
Michael Cuesta – Homeland
Phil Abraham – Mad Men

Melhor Roteiro em Série Dramática:
Julian Fellowes – Downton Abbey
Alex Gansa, Gideon Raff e Howard Gordon – Homeland
Semi Chellas e Matthew Weiner – Mad Men
Andre Jacquemetton e Maria Jacquemetton – Mad Men
Erin Levy e Matthew Weiner – Mad Men

Melhor Roteiro em Série Cômica:
Chris McKenna – Community
Lena Dunham – Girls
Louis C.K. – Louie
Amy Poehler – Parks and Recreation
Michael Schur – Parks and Recreation

Assista ao Emmy Awards ao vivo, ou depois faça o download do programa e assista num outro dia. Divirta-se e pratique ainda mais o seu inglês!

Até mais,

Carlos