Posts Tagged ‘vontade’

Dica 572 – Vá atrás das coisas

outubro 2, 2013

Eu ainda me impressiono muito com a quantidade de pessoas que espera que as coisas venham até elas de mão beijada.  E não vão atrás do que querem. Hoje em dia, com tanta facilidade para conseguirmos tudo o que quisermos, não dá para ficarmos sentados esperando as coisas virem até nós. Se você quer alguma coisa, mexa-se!

Quer aprender inglês? Quer aprender mesmo? Vá atrás do seu objetivo. Faça alguma coisa por você mesmo!

Eu vejo alunos que ouvem uma palavra nova na sala de aula, por exemplo. Eles não entendem a palavra e deixam por isso mesmo. Quantas vezes um aluno vem me dizer que não fez um determinado exercício da lição de casa por que havia uma palavra que ele não tinha entendido. E por que não procurou? Há tantos dicionários por aí! Há dicionários online de todos os tipos. Se você digitar a palavra no google images, por exemplo, consegue ver a imagem da palavra. Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras. Ao digitar a palavra no google images aparecem centenas de imagens. Se cada uma vale por mil palavras, imagina quantas ilustrações da mesma palavra você pode ter! Você só não visualiza se não quiser.

Há muitos dicionários impressos e online. Cada dicionário tem definições e exemplos com as palavras. Se você não entender a explicação de um deles, procure em outro. Lendo muitas definições e muitos exemplos, uma hora a ficha cai e você entende.

Não entendeu um determinado ponto gramatical? Se estuda em uma escola, peça uma ajuda ao seu professor. Peça para ele explicar de novo. Peça novos exemplos. Peça a ele para indicar um livro para fazer exercícios extras de gramática. Encontre o livro e estude, pratique, até aprender. Se achar que ainda não entendeu, estude e pratique mais um pouco. É do seu interesse. Se você estuda por conta própria, vá atrás de exercícios. Ter um livro de gramática é importante também. Faça exercícios online. Faça alguma coisa!

Eu costumo dizer aos meus alunos que coloco a bola na frente deles, mas quem tem que chutá-la são eles mesmos. Se errarem o gol, precisam repetir centenas de vezes, que as chances de acerto vão aumentando. Não adianta querer que a bola se mexa sozinha. Isso não acontece.

Se você prestar atenção à sua volta, vai ver que as pessoas que se saem melhor em qualquer coisa são aquelas que fazem algo para que isso aconteça. A diferença entre aprender ou não é tentar, se esforçar. Aquela velha frase que diz que é “1% de inspiração e 99% de transpiração” é a mais pura verdade.

Eu sou muito criativo e tenho muitas ideias ótimas, mas se eu não sentar e escrevê-las, elas não saem por conta própria. Não adianta ter uma ideia maravilhosa se a ideia fica dentro da sua cabeça. Para escrever um post no blog, por exemplo, eu fico um tempão na frente do computador. Escrevo, corrijo, escrevo novamente e esse processo continua até que me dou por satisfeito.

Para aprender a cantar uma música nova, passo dias e dias ouvindo só aquela música e cantando sem parar, até conseguir cantá-la por inteiro. É um processo longo, mas que dá resultado. E é assim com tudo.

Como professor, acho que a minha função principal não é ensinar inglês. Mais importante do que isso, é ensinar as pessoas a se virarem sozinhas, a ir atrás das coisas, pois é só assim que elas vão aprender de verdade. Afinal, elas não vão ser alunas a vida inteira. A ideia é justamente treiná-las a serem independentes.

Não adianta chorar e dizer, “Eu não entendo isso.” O que você vai fazer para entender? Vá atrás, descubra, experimente, mexa-se! Você é capaz, sim! Depende do seu esforço e da sua vontade!

Até mais,

Carlos

Anúncios

Dica 525 – Comemore o Natal Cantando em Inglês – 5

dezembro 24, 2012

Encerrando a série de posts com músicas de Natal deste ano, aí vai a música Have Yourself a Merry Little Christmas, que também foi ao ar no episódio de Natal de Glee:

E aqui embaixo a música com a letra. Aprenda e cante junto:

Grande parte das perguntas que eu recebo de leitores do blog é sobre músicas em inglês. Muita gente quer aprender a cantar em inglês ou, como eu, acha que cantar ajuda a aprender inglês. Por isso eu estou sempre falando de música.

Espero que estes posts com músicas de Natal tenham ajudado nesse sentido. Não só para aprender um pouco mais de inglês, como também para ajudar a incluir o inglês na sua vida. Fazer uma festa de Natal cantando músicas em inglês é uma maneira diferente de comemorar o Natal. Você pode criar até uma tradição na sua comemoração.

Se não gostou das músicas que eu sugeri, procure outras. Há muito material disponível na Internet. É só achar o que você mais gosta. Quem sabe você pode até me sugerir outras músicas? Eu já vou guardando para o Natal do ano que vem.

E enquanto isso vou desejando um Feliz Natal e que o Papai Noel traga muita vontade e determinação para você seguir em frente sempre aprendendo mais inglês!

Até a próxima,

Carlos

Dica 494 – O que você faz pelo seu inglês?

setembro 6, 2012

Quando eu comecei a escrever esse blog, eu escrevi que uma das coisas que me motivaram foi a quantidade de pessoas que me dizem todo dia que precisam aprender inglês. Eu já falei diversas vezes aqui que aprender inglês é uma questão de atitude. Não adianta nada você apenas dizer que quer aprender. O que importa é o que você faz a respeito disso.

A matéria de capa da edição de 29 de agosto de 2012 da revista Veja fala sobre a importância de soltar a língua. Todo mundo quer saber inglês e, no entanto, apenas 5 % da população brasileira fala inglês. Porém, desses 5%, apenas 37% conseguem conversar em inglês mais ou menos. É muito pouco!

A matéria fala que no Brasil não se aprende inglês na escola. Mas se você pensar bem, há muita coisa que não se aprende na escola. O ensino público no Brasil é tão ruim que também não se aprende português, matemática e outras matérias.

Se as pessoas não aprendem inglês de quem é a culpa? Não é só da escola. É dos alunos também que não se esforçam para aprender. Na semana passada eu dei uma palestra para um grupo extremamente motivado de professores das escolas municipais de Sâo Paulo. Muita gente querendo ensinar, mas enfrentando as resistência dos alunos, que muitas vezes não tentam aprender. E depois colocam a culpa no professor.

Isso não acontece apenas na escola púbica. Eu dei aula por um ano num colégio de classe A em São Paulo, onde os alunos também não se esforçavam para aprender. Eles diziam que se quisessem aprender, iriam para um curso de inglês. Até os pais dos alunos reclamavam quando eu dava lição de casa. Como os alunos poderiam aprender sem praticar? As pessoas se focam nos resultados, mas não no que precisam fazer para chegar a eles.

A matéria da Veja diz que adultos têm mais dificuldades em aprender do que crianças. É verdade que as crianças têm o cérebro mais plástico e tem mais ferramentas de assimilação, mas muitas vezes não têm a motivação para aprender. Eu tenho alunos de 12 anos que vão para o curso de inglês mas não aproveitam o quanto poderiam, pois não estudam, não fazem exercícios em casa, não falam inglês na aula. Mesmo tendo a idade apropriada e o acesso – já que os pais pagam o curso – nem todos aprendem inglês.

Adultos podem ter mais dificuldades, é verdade, pois já estão afastados da fase escolar há mais tempo. Mas com esforço e dedicação, conseguem aprender. Eu tenho alunos adultos de todas as idades que aprendem muito bem e se desenvolvem rapidamente. Outros se desenvolvem menos. Há alunos que vem para a aula sem terem praticado o que estudaram na aula anterior. É claro que esses terão mais dificuldades. É claro que esses se desenvolverão menos. Há outros alunos que praticam em casa tudo o que estudamos na aula, refazem todos os exercícios por escrito e oralmente, fazem atividades extras, ouvem músicas, assistem a filmes em inglês, tentam falar em inglês fora da sala de aula, e quando chegam na aula seguinte estão com o conteúdo realmente aprendido e prontos para aprenderem coisas novas.

Não é somente a idade que determina se você vai aprender inglês bem ou não. O mais importante de tudo é a sua atitude. Se você não está satisfeito com o seu inglês, não reclame. Chorar não vai adiantar nada. Arregace as mangas e trabalhe para melhorar o seu inglês!

Até a próxima,

Carlos

Dica 444 – Não existe idade para aprender inglês

março 19, 2012

Um artigo publicado na Folha de São Paulo do dia 18 de março de 2012 fala que vem crescendo o interesse de pessoas mais velhas por intercâmbio. Muitos viajantes com mais de 50 anos que mandaram seus filhos fazer intercâmbio mas não tiveram a oportunidade ou o dinheiro estão fazendo isso mais tarde. Aproveitam para viajar e aprender inglês.

Isso me lembra da eterna pergunta sobre qual idade é melhor para aprender inglês. Embora seja verdade que aprender quando criança é muito melhor, isso não significa que quem é mais velho não consiga aprender. Se fosse assim, as escolas de inglês não estariam cheias de alunos adultos de todas as idades.

Quando você aprende ainda criança, teoricamente é mais fácil. No entanto, muitas crianças vão para a escola de inglês obrigadas pelos pais e a motivação para aprender não é tão grande. Quando você aprende quando é adulto, você vai para a aula porque quer – ou porque precisa aprender – e isso já é uma motivação maior.

O que me surpreende é a quantidade de pessoas que dizem que já são velhas demais para aprender. Isso não existe. Qualquer pessoa é capaz de aprender qualquer coisa em qualquer idade. Depende somente da vontade e do esforço.

A minha sogra, por exemplo, que tem 75 anos, aprendeu a usar o computador e usa para trabalhar, mandar e-mails e até jogar. Tem pessoas com 50 anos que dizem que nunca vão aprender a usar um computador. Mais uma vez, como eu sempre digo, é uma questão de atitude. A atitude positiva leva a aprender. Você precisa acreditar que consegue. E vai conseguir.

Não adianta você ficar reclamando que se tivesse estudado quando era criança agora saberia falar inglês. O tempo não volta para trás. Você precisa  se mexer e fazer alguma coisa a respeito. Pode ser que hoje em dia seja mais difícil, pois você tem muitas outras coisas para fazer na vida, mas querendo você consegue.

Nunca é tarde para aprender. Só depende de você!

Até a próxima